Autarca do Pico manifesta "pública contrição" por "desabafo" tido por homofóbico

Autarca do Pico manifesta "pública contrição" por "desabafo" tido por homofóbico

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Set de 2018, 14:34

O presidente da Câmara das Lajes do Pico, acusado de tecer um comentário homofóbico, manifestou esta segunda-feira "pública contrição" pelo "desabafo" expresso numa correspondência privada, afirmando que não se demite.

Num esclarecimento, Roberto Silva (PS) diz que o "vocábulo da gíria popular" por si usado numa correspondência eletrónica foi escrito "sem qualquer intenção que configurasse qualquer juízo de valor quanto à personalidade" do promotor cultural Terry Costa, visado no texto, "e muito menos sem qualquer intenção que visasse diminuir em nada o seu carácter, o seu comportamento intelectual e social, ou, muito menos, qualquer das suas opções ou orientações sexuais".

Roberto Silva foi acusado de tecer um comentário homofóbico ao dirigente da associação cultural MiratecArts, sendo criticado por várias entidades e partidos, inclusive pelo próprio PS, pelo qual foi eleito.

Em causa está uma proposta que a MiratecArts, liderada por Terry Costa, apresentou à câmara açoriana e que passava pela oferta de livros a crianças e jovens das Lajes do Pico durante a edição de 2018 da Semana dos Baleeiros.

O autarca, Roberto Silva, respondeu internamente ao pedido de apoio por email utilizando uma palavra homofóbica, tendo a mensagem chegado a Terry Costa.

O caso remonta a julho, mas só em agosto a associação MiratecArts divulgou um comunicado explicando a situação.

Hoje, Roberto Silva advogou que em vez do termo empregue no email "poderiam, por mera hipótese e em geral, ter sido expressas palavras distintas, como ‘chico-esperto’, ‘vedeta’ ou ‘artista’", palavras "que definissem comportamentos e atitudes de relacionamento, mas nunca com a intenção de discriminar alguém, muito menos sob qualquer ponto de vista com conotação com qualquer orientação sexual".

"A expressão empregue, sempre no foro de correspondência privada e que nunca por nunca haveria de ter sido divulgada, semelhante a muitas outras da gíria popular, não é feliz, nem adequada, em especial se tivermos em conta o cargo político que desempenho, não pelo significado que literal, social e até politicamente lhe querem atribuir, mas porque, de modo nenhum, representa, nem na essência nem na forma, o meu modo de estar e de me interrelacionar com as pessoas e com a comunidade", prossegue o autarca eleito pelo PS.

O "desabafo" ocorreu, justifica ainda, por a associação cultural de Terry Costa ter "rasgado" em 2017 um "importante compromisso com a Câmara das Lajes, facto com inegável impacto no plano eleitoral" do concelho.

"Admito que a expressão empregue pôde, pelo enquadramento feito por terceiros, embora errado, ter adquirido uma conotação pejorativa, o que, acentuo, de modo nenhum correspondeu à intenção no momento da sua escrita, pois não passou de uma designação de puro e espontâneo desabafo e até de indignação face a uma nova proposta de parceria apresentada pela MiratecArts à Câmara das Lajes", continua o presidente da autarquia da ilha do Pico.

Roberto Silva é presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico desde 2009, cumprindo atualmente o terceiro mandato.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.