Crime em Sintra

PJ sem indícios que sustentem tese de canibalismo


 

Lusa / AO online   Nacional   27 de Nov de 2007, 16:15

A Polícia Judiciária (PJ) esclareceu hoje que "não tem qualquer indício que sustente a tese de canibalismo" no homicídio de um ucraniano, ocorrido em Almoçageme (Sintra) em 2005, em que já foi detido o suspeito.
"Investigámos o aparecimento de ossos na Serra de Sintra e identificou-se a pessoa morta. Concluiu-se que foi morta por terceiros e identificou-se o autor, tendo-se chegado à conclusão que o autor (do crime) já se encontrava detido pela prática de um homicídio (de uma mulher) ocorrido no dia 20 de Agosto de 2006 na Praia Grande, em Sintra", revelou à Lusa a Secção de Homicídios da PJ.

Este esclarecimento da PJ surge no seguimento de um notícia hoje publicada no Correio da Manhã com o título "Psicopata assassino comeu o sogro na casa de Sintra", em que refere que um cidadão ucraniano de 30 anos, suspeito de três homicídios, foi preso pela morte de um familiar, cujo corpo terá comido.

Segundo o jornal, a alegada vítima de canibalismo seria Anatolie Bobrysh de 51 anos cujos ossos foram deixados em zona de mato perto de Almoçageme em Maio de 2005.

Relativamente a um terceiro crime, cometido na Ucrânia pelo mesmo homicida, a que o jornal faz referência, a PJ garante que "não tem qualquer dado que permita confirmar" tal facto.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.