Situação política na Birmânia

Enviado ONU satisfeito com conversações em Pequim

Enviado ONU satisfeito com conversações em Pequim

 

Lusa / AO online   Internacional   25 de Out de 2007, 11:06

O enviado especial das Nações Unidas para a Birmânia mostrou-se esta quinta-feira optimista com o encontro mantido com as autoridades chinesas, a quem pediu ajuda para resolver a crise naquele país do sudeste asiático.

Ibrahim Gambari considerou "muito boas" as conversações que manteve quarta-feira à noite, em Pequim, com He Yafei, adjunto do Ministro dos Negócios Estrangeiros chinês.

O enviado da ONU fez breves declarações aos jornalistas antes de reunir também com Wang Yi, vice-ministro com a mesma tutela. Na sexta-feira, Gambari segue para o Japão.

Apesar da China, um dos maiores aliados de Rangum, rejeitar sanções económicas contra a Junta Militar no poder na Birmânia (Myanmar), Gambari agradeceu à China o apoio na organização dos encontros com o general Than Shwe e com a líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, em prisão domiciliária desde 1989.

Enquanto o representante da ONU estava em Pequim, nas embaixadas chinesas em Banguecoque e Sydney, entre outras, centenas de activistas manifestaram-se contra o apoio político da China à Junta birmanesa.

Na quarta-feira, He Yafei elogiou Gambari pelo trabalho na Birmânia, onde no final de Setembro a Junta reprimiu com violência protestos anti-governamentais.

"(Gambari) teve uma contribuição notável para a mediação na questão de Myanmar nas duas últimas semanas. Apreciámos isso", afirmou He.

A China é o maior fornecedor de armas à Birmânia e defende uma política de não-interferência nos assuntos internos de países terceiros.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.