China satisfeita com missão do enviado especial da ONU


 

Lusa / AO online   Internacional   4 de Out de 2007, 12:27

A China, principal aliada da Junta Militar birmanesa, qualificou hoje a missão do enviado especial das Nações Unidas à Birmânia, Ibrahim Gambari, como uma “etapa útil”, declarando-se satisfeita com os resultados da visita.
    “A China deu a sua contribuição activa aos esforços de mediação do secretário-geral das Nações Unidas e do seu enviado especial, nós estamos satisfeitos pelos resultados obtidos pela visita de Gambari”, indicou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Liu Jianchao, em comunicado.

    Liu acrescentou que a visita foi “uma etapa útil” e realçou que a situação “voltou à calma nos últimos dias”.

    Ibrahim Gambari deve encontrar-se hoje com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para relatar a sua missão em território birmanês.

    Gambari foi enviado à Birmânia (Myanmar) para tentar cessar a repressão violenta da Junta Militar das manifestações, durante as quais morreram dez pessoas, incluindo um jornalista japonês, e foram feitas mais de mil detenções, de acordo com dados oficiais.

    Grupos dissidentes estimam que a repressão militar causou mais de 200 mortos e perto de seis mil detidos.

    Durante a visita de quatro dias à Birmânia, Gambari encontrou-se com o líder da Junta Militar no poder, Than Shwe, e com a líder da oposição, Aung San Suu Kyi.

    A China recusou-se a condenar o aliado birmanês desde o início da repressão militar.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.