Açoriano Oriental
Plano 2020/2030
Governo deve ser “intransigente” na Europa na defesa de linha de apoio ao turismo

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) disse esperar que o Governo seja “intransigente” junto das instituições europeias na defesa da criação de uma linha específica de apoio ao turismo, um dos setores mais afetados pela pandemia.

Governo deve ser “intransigente” na Europa na defesa de linha de apoio ao turismo

Autor: Lusa/AO Online

“Temos a expectativa de que o Governo Português seja intransigente junto do Parlamento Europeu e Comissão Europeia na defesa da criação de uma linha específica de apoio à atividade, com dotação própria”, afirmou Francisco Calheiros, num comunicado enviado à comunicação social.

O responsável considerou que “de outra forma, não será possível ao turismo dar o seu contributo à coesão territorial e social europeia que se impõe”.

Em causa está a “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030”, documento que servirá de base ao plano que o Governo irá apresentar à Comissão Europeia, em outubro, elaborado por António Costa Silva, cuja fase de consulta pública já terminou.

A CTP lamentou “a ausência do turismo no modelo de desenvolvimento económico e social do país apresentado no documento” e defende que é “essencial desfazer a ideia preconcebida” de que há demasiado turismo em Portugal.

“Não há, nunca houve turismo a mais, mas sim outras atividades económicas a menos. Nós demos o nosso contributo. Vamos ser penalizados por isso?”, questiona Francisco Calheiros.

Segundo a confederação, “o turismo tem crescido acima da economia nacional, é a maior atividade económica exportadora do país, sendo responsável por 52% das exportações de serviços, as receitas turísticas registam um contributo de 8,7% para o PIB e representa quase 7% do emprego”.

Assim, o presidente da CTP considera “incompreensível que o documento apresentado não tenha em conta estes indicadores e praticamente ignore a relevância estratégica do turismo para a recuperação da economia”.

A CTP defende a integração do setor no referido plano estratégico com medidas de curto e médio prazo de recuperação da atividade, destacando as que garantam a sobrevivência das empresas e a preservação dos postos de trabalho.

Para isso, a confederação diz ter já apresentado um pacote de 90 medidas de apoio ao tecido empresarial, “muitas delas ainda sem concretização”.

A CTP defende ainda a criação de um Plano de Recuperação e Transformação do Turismo Português, a médio prazo, que inclua, entre outras medidas, programas para a sustentabilidade do turismo, para a renovação e sustentabilidade de destinos maduros, para a capacitação e dignificação dos profissionais do turismo e um programa financeiro exclusivo de apoio ao turismo e aviação.

As medidas para combater a pandemia de covid-19 paralisaram setores inteiros da economia mundial e levaram o Fundo monetário Internacional (FMI) a fazer previsões sem precedentes nos seus quase 75 anos: a economia mundial poderá cair 4,9% em 2020, arrastada por uma contração de 8% nos Estados Unidos, de 10,2% na zona euro e de 5,8% no Japão.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.