PJ detém camaronês por suspeita de burlas no valor de meio milhão de euros


 

Lusa / AO Online   Nacional   12 de Out de 2007, 18:37

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um cidadão dos Camarões, suspeito da prática reiterada de burlas qualificadas no Norte e na Grande Lisboa, que causaram aos lesados prejuízos de pelo menos meio milhão de euros.
    O cidadão camaronês, de 37 anos, que não tinha qualquer actividade ou ocupação lícita conhecida em Portugal, foi detido por investigadores da PJ/Porto no âmbito de uma investigação iniciada em Janeiro de 2006.

    Segundo um comunicado policial, o alegado burlão exibia às potenciais vítimas maços de papel preto, recortados na forma e no tamanho de várias notas de euros ou dólares americanos, fazendo-lhes crer que se tratava de dinheiro verdadeiro.

    Na versão que apresentava aos incautos, afirmava que o dinheiro "havia sido dissimulado com determinados produtos químicos que lhe conferiam aquela cor, para ser retirado mais facilmente do continente africano.

    É que, segundo dizia, o dinheiro "era originário de procedimentos ilegais realizados naquele continente".

    Contada a história nestes termos, o camaronês propunha depois aos interlocutores a aquisição desses "maços de notas", explica o comunicado da PJ.

    O suspeito - diz a PJ - prometia "lucros superiores a 100 por cento do capital a investir, que resultariam, tão só, da adequada utilização de determinados produtos químicos que permitiriam que o 'dinheiro negro' voltasse à sua forma e aspecto originais".

    Para aquisição desses mesmos maços de notas e dos respectivos produtos químicos de lavagem, várias vítimas acabaram por entregar, pessoalmente ao detido, somas de dinheiro efectivo que variaram entre os 50 mil e os 120 mil euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.