Associação Agrícola quer reestruturação do leite face ao fim das quotas

Associação Agrícola quer reestruturação do leite face ao fim das quotas

 

Lusa / AO   Regional   14 de Nov de 2006, 22:55

O presidente da Associação Agrícola de São Miguel alertou hoje para a necessidade de uma reestruturação da produção de leite nas ilhas para permitir salvaguardar o sector face ao fim previsível das quotas comunitárias em 2015.

 

O presidente da Associação Agrícola de São Miguel alertou hoje para a necessidade de uma reestruturação da produção de leite nas ilhas para permitir salvaguardar o sector face ao fim previsível das quotas comunitárias em 2015.

"É tempo de começar a pensar em conjunto" nos vários cenários colocados à produção de leite nas ilhas, perante a possibilidade do fim das quotas em 2015, um processo que tem de envolver produtores, industriais, governos Regional e da República e deputados europeus, salientou Jorge Rita à agência Lusa.

O responsável da Associação Agrícola de São Miguel reagia às declarações da comissária europeia da Agricultura, Mariann Fischer-Boel, que admitiu no Parlamento Europeu que o regime de quotas leiteiras possa sofrer alterações a partir de 2008, para preparar uma possível supressão do sistema em 2015.

O assunto foi debatido na assembleia de Estrasburgo, na sequência de uma pergunta oral colocada pelo eurodeputado português social-democrata Duarte Freitas, que disse ser "particularmente sensível" à questão por ser oriundo dos Açores, região que representa 30 por cento da produção de leite em Portugal.

Fischer-Boel apontou que, na ausência de uma decisão em contrário, o regime de quotas leiteiras terminará a 31 de Março de 2015, para admitir então a adopção de medidas antes dessa data, de modo a permitir "uma transição gradual".

Para Jorge Rita, que considerou que a posição da comissária europeia representa um alerta aos produtores, os Açores devem apostar, até 2015, em aumentar a competitividade das explorações, para assegurar um melhor aproveitamento da qualidade do leite produzido nas ilhas.

O dirigente agrícola, que considerou que seria uma "catástrofe" para o sector se as quotas terminassem de imediato, adiantou que a indústria deve também adoptar uma estratégia, que passe por colocar no mercado produtos inovadores e com mais valor Segundo disse, a reestruturação deve levar a que o arquipélago passe a ter "menos e maiores produtores", com explorações a produzir de forma mais eficiente e competitivas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.