Rali de Portugal

Armindo Araújo fala em “missão cumprida” no Nacional

Armindo Araújo fala em “missão cumprida” no Nacional

 

AO Online/ Lusa   Motores   1 de Jun de 2019, 18:02

Armindo Araújo (Hyundai i20) considerou este sábado ter "a primeira parte da missão cumprida", depois de ter assegurado a vitória no Rali de Portugal entre os pilotos do Nacional, cuja classificação ficou fechada após o último troço desta manhã.

"Vencer nunca é fácil, mas correu-nos bastante bem. Entrámos bem no rali, com um bom ritmo. O carro foi um forte aliado e hoje também estivemos a ver os nossos adversários à distância. Foi uma boa operação para o Campeonato de Portugal de ralis, até porque fizemos a ‘dobradinha’", disse o piloto à agência Lusa.

Armindo Araújo destacava o facto de o companheiro de equipa, Bruno Magalhães, ter arrebatado o segundo lugar na prova ao líder do campeonato, Ricardo Teodósio (Skoda Fabia), na derradeira especial.

"Temos que ir gerindo o campeonato, melhorando as coisas como podemos. Não deitámos a toalha ao chão e fomos sempre atacando. Esta prova foi muito boa, melhor do que aquilo que poderíamos esperar, pois tivemos muitas bonificações por vitórias em troços [7 em 10, 0,5 pontos por cada troço ganho]", explicou o piloto de Santo Tirso.

Na ótica do piloto, a chave para esta vitória passou "pela equipa, que é boa", e pela "experiência de Mundial".

"Nas especiais menos conhecidas e nas mais longas foi, de facto, onde andámos melhor. Talvez a experiência de Mundial tenha ajudado", frisou Armindo Araújo, que conta no currículo com dois títulos mundiais do agrupamento de Produção (2009 e 2010).

O regresso ao Campeonato do Mundo "não está previsto", mas não seria descartado: "Interessado estou, o problema é a realidade do nosso país. Não temos estrutura nem dimensão para montar um projeto desses", lamentou o piloto português com melhor currículo internacional.

Fechadas as contas do campeonato, segue-se o segundo objetivo, "que é ser o melhor português no final da prova".

No campeonato, Armindo Araújo ascendeu do quinto ao segundo lugar, com 60,44 pontos, enquanto Ricardo Teodósio mantém a liderança, com 88,18 pontos.

Bruno Magalhães subiu a terceiro, com 53 pontos, devido à desistência de Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5) e à ausência de Ricardo Moura (Skoda Fabia R5).

A próxima prova do Nacional de ralis disputa-se dentro de três semanas, em Castelo Branco.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.