Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   31 de Out de 2008, 05:58

A revelação de que as “luvas” de tráfico de armas para Angola terão passado por bancos portugueses, a diminuição de carros nas auto-estradas e nova paragem da Autoeuropa até ao final do ano são hoje destaques na imprensa.
“’Luvas’ de tráfico de armas para Angola passaram por bancos portugueses” é a manchete de hoje do jornal Público, revelando que o caso envolve o presidente Eduardo dos Santos e outras figuras de Luanda.

    De acordo com o Público, foram pagas comissões de 54 milhões de dólares durante o período de embargo de armamento a Angola.

    Na primeira página, o Público destaca ainda “Imagens de relatório da CP revelam falhas na segurança da Linha do Tua”.

    Contudo, a Refer garante que as fotografias não denotam situações “preocupantes”, acrescenta o matutino.

    O Jornal de Notícias chama à primeira página “Menos automóveis nas auto-estradas”, contando que as portagens da Brisa registaram uma quebra de 1,6 milhões de veículos até Setembro.

    O destaque fotográfico do JN vai para o estado em que ficou o veículo em que seguia uma família portuguesa que quinta-feira sofreu um acidente em Espanha.

    No acidente, morreram um adulto e duas crianças.

    O Semanário Sol, que antecipou a sua publicação para hoje devido ao feriado, titula “[Operação] Furacão deslindado”, revelando “todo o esquema da operação”.

    O jornal diz que os bancos combinavam com grandes clientes esquemas de fuga ao fisco e que o dinheiro “fugia do país através de facturação falsa de empresas com sede no estrangeiro.

    Na capa, o semanário adianta ainda que “BCP desmonta burla de 75 milhões”, contando que o Ministério Público deduziu acusações contra quatro pessoas envolvidas numa tentativa de burla ao banco.

    O Diário de Notícias anuncia que a “Autoeuropa vai parar [produção] mais 20 dias até ao final do ano”, salientando no entanto a garantia da empresa de que não haverá despedimentos.

    A redução da actividade fabril tem por objectivo responder à acentuada quebra de encomendas de automóveis registada na Europa e no Estados Unidos, escreve o DN.

    O jornal destaca ainda “Bactérias perigosas detectadas em 96 por cento dos frangos à venda” e uma entrevista a António Rodrigues, banqueiro e ex-administrador do BCP.

    O Correio da Manhã destaca “Pinto da Costa ganha à comissão”, referindo que as novas regras de prémios para administradores da SAD são contestadas por Alexandre Magalhães, crítico da direcção portista.

    O jornal diz que se o FC Porto ficar em terceiro lugar no campeonato e consequentemente afastado da Champions, os administradores recebem um prémio de mais de 800 mil euros.

    “Junta filhos num quarto e mata ex-mulher e amante” numa casa em Nelas, Viseu, e “Detectives dos McCann pediram a advogado para se meter no caso Joana” são outras chamadas de capa do CM.

    O 24horas titula “Ainda tentámos salvar a bebé mas ela morreu”, uma afirmação de um dos bombeiros que esteve envolvido no combate a um incêndio que matou uma bebé de três anos em Espírito Santo de Touregas, Coimbra.

    O Diário Económico adianta na capa “Sócrates ganha votos com resposta à crise”, segundo uma sondagem da Marktest para o económico.

    A sondagem indica que o PS se distancia do PSD nas intenções de voto, já depois de apresentar o Orçamento do Estado para 2009.

    O económico faz ainda chamada de capa com uma entrevista a Manuel Ferreira de Oliveira, CEO da Galp, na qual este afirma que “Descida do petróleo pode travar renováveis”.

    Por seu turno, o Jornal de Negócios escreve “Prestações da casa baixam 120 euros nos próximos seis meses”.

    O JdN puxa ainda para a capa uma entrevista ao presidente executivo da Portugal Telecom, na qual Zeinal Bava refere que os “fundamentais do negócio da PT continuam bons”.

    O Semanário Económico destaca em manchete “Controlo do hospital dos bancários passa para a Caixa”.

    De acordo com o jornal, falta apenas a aprovação, em referendo, dos bancários, o que deverá acontecer em Novembro.

    Na primeira página, o Semanário escreve “[Ramalho] Eanes não trava revolta dos militares”.

    O general Loureiro dos Santos alertou quinta-feira para situações de “injustiça” entre militares e para o facto de esta conjuntura poder levar a atitudes “irreflectidas” por parte dos militares mais jovens.

    Os cinco anos de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica e a decisão do Sporting de não negociar saída de Liedson estão hoje na primeira página dos jornais desportivos.

    “espero continuar a desenvolver o Benfica” é a afirmação de Luís Filipe Vieira numa entrevista ao site do clube que A Bola destaca para a capa de hoje.

    O matutino comenta que com esta declaração o actual presidente “encarnado” “entreabre a porta da recandidatura”.

    O Jogo também dedica a primeira página aos cinco anos liderança do presidente do Benfca, destacando os pontos fortes e negativos.

    De positivo salienta a construção do Estádio da Luz, o Centro de Estágio e a credibilidade financeira, enquanto no lado negativo surge a “escassez de títulos”.

    No Record surge o avançado brasileiro Liedson, que o Sporting considera “intocável”.

    O matutino refere que o clube “nem quer ouvir propostas” e que tem por objectivo “chegar a acordo de renovação com o Levezinho antes das eleições de Maio”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.