Ensino para seniores mobilizou 2700 pessoas em nove anos na Universidade dos Açores

Ensino para seniores mobilizou 2700 pessoas em nove anos na Universidade dos Açores

 

Lusa/AO online   Regional   1 de Out de 2012, 15:40

O ensino direcionado para seniores na Universidade dos Açores, projeto considerado pioneiro nas academias públicas nacionais, já abrangeu cerca de 2700 pessoas ao longo de nove anos, permitindo um envelhecimento ativo, informou fonte da reitoria.

"O programa foi criado há nove anos e já se tornou numa referência, representando um ganho comunitário e pessoal significativo", sublinhou a pró-reitora Teresa Medeiros, que criou em 2003 o programa de Aprendizagem ao Longo da Vida da universidade açoriana.

Teresa Medeiros frisou que a academia açoriana "foi pioneira no país e na região" na abertura de cursos de Aprendizagem ao Longo da Vida, acrescentando que, "em média, são realizadas 300 inscrições por ano, 70% das quais do sexo feminino e na sua grande maioria aposentadas, embora existam alguns casos de pessoas que frequentam o programa e que ainda se encontram no ativo".

A pró-reitora admite que este ano as inscrições possam até aumentar, já que foi possível "diminuir o valor das inscrições nos cursos em cerca de 15%", indicando que o período de matrículas arranca na terça-feira.

Segundo esta responsável, as propostas letivas para 2012/2013 integram os cursos sobre “História da Igreja”, “Arquitetura e Jardins: Programas Oitocentistas da Arte de Construir nos Açores”, “Historia do Traje”, “Navegar na Net”, “Que posso fazer, que devo fazer, alguns problemas de consciência”, “Corpo: sexualidade ao longo a vida”, "História Natural dos Açores" e "Avós e netos, que desafios?".

Além dos cursos decorrerão seminários e atividades expressivas que integram o Coro “Vozes ao Entardecer”, o Grupo de Teatro Sénior e aulas de Ioga, tendo Teresa Medeiros destacado que o programa "está aberto a todas as pessoas, independentemente da idade ou das habilitações literárias".

O programa arrancou em Ponta Delgada, mas foi posteriormente expandido para Vila Franca do Campo e Ribeira Grande, também na ilha S. Miguel, e depois para as ilhas de Santa Maria e Terceira, promovendo ainda ações no arquipélago no âmbito do envelhecimento ativo.

Existe também um protocolo com a Faculdade de Medicina de Coimbra para toda a área da saúde e a colaboração dos médicos do hospital de Ponta Delgada.

Para a pró-reitora Teresa Medeiros, a criação do programa universitário demonstra, também, que a academia açorina "está atenta aos problemas da contemporaneidade", lembrando que, segundo dados de 2011, "existem nos Açores 32.159 idosos".

"Este programa promove a saúde na medida em que as pessoas fazem a sua própria estimulação ativa e inserção social de uma forma mais equilibrada", referiu, alegando que "há alunos que estão sozinhos e encontram na Universidade uma família".

Para assinalar o começo das atividades letivas do programa e o Dia Internacional do Idoso, a Pró-Reitoria para a Formação ao Longo da Vida promove hoje uma sessão solene em Ponta Delgada, com um momento musical e de teatro, além de duas conferências sobre “Atividade física, envelhecimento e saúde” e “Violência nas pessoas idosas: aspetos preventivos”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.