PS/Açores considera inaceitáveis os cortes na universidade da região

 PS/Açores considera inaceitáveis os cortes na universidade da região

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Out de 2013, 13:37

O PS/Açores considerou hoje "inaceitável" que o Orçamento do Estado para 2014 preveja um corte de 4,3 milhões de euros no financiamento da universidade da região, alertando para as especificidades da instituição.

Em declarações aos jornalistas à margem dos trabalhos do plenário do parlamento dos Açores, na Horta, o líder da bancada socialista nesta assembleia, Berto Messias, manifestou “profunda preocupação” com as notícias desta semana, que dão conta de um corte superior a quatro milhões de euros no orçamento da universidade do arquipélago.

Para Berto Messias, os órgãos de soberania nacionais têm de reconhecer que a Universidade dos Açores tem um “papel muito importante” na região e também no país, sublinhando que a academia tem um ‘know how’ de excelência em Portugal e mesmo a nível europeu” em áreas como as ciências do mar ou a agropecuária.

Além de ser um “ativo” importante no desenvolvimento dos Açores e do país, a universidade tem ainda “especificidades” que devem ser levadas em atenção, acrescentou.

“A Universidade dos Açores tem de ser olhada de forma diferente”, disse Berto Messias, sublinhando que está em causa um arquipélago e que a academia é tripolar.

Assim, a “lógica” do Governo da República de “reforçar o financiamento” daquelas universidades que têm maior capacidade de angariação de receitas” é “completamente errada” no caso dos Açores, considerou.

Questionado sobre o plano de recuperação que a universidade está a negociar com o Ministério da Educação, Berto Messias disse que o PS aguarda para ver se o processo “se materializa em algo positivo”.

O dirigente socialista acrescentou que o PS pediu uma reunião ao reitor da universidade para perceber a situação da academia.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.