PSD/A vota contra o Programa de Governo

PSD/A vota contra o Programa de Governo

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Dez de 2008, 14:47

O PSD/Açores vai votar contra o Programa do Governo Regional socialista, em debate na próxima semana no Parlamento açoriano e vai avançar com propostas concretas para aliviar as empresas e famílias do "sufoco financeiro".

 O líder da bancada parlamentar do PSD/Açores, que falava no final de dois dias de jornadas parlamentares social democratas em Ponta Delgada, justificou que o sentido de voto do partido é "coerente", dado que o Programa do Governo socialista aposta na continuidade de "um ciclo de 16 anos consecutivos de governação".

    "O PSD apresentou-se nas eleições legislativas do passado mês de Outubro, como alternativa de governo e com o seu próprio programa eleitoral", recordou António Soares Marinho, acrescentando que o partido tem, por isso, legitimidade política de afirmar a sua oposição.

    O Programa de Governo Regional socialista será aprovado uma vez que o PS detém 30 dos 57 deputados do parlamento açoriano.

    Na conferência de imprensa, o líder da bancada parlamentar do PSD/Açores criticou as "medidas de curto prazo" anunciadas pelo Governo açoriano para aliviar o "sufoco financeiro que atinge o tecido empresarial regional" e alertou para o facto das famílias terem ficado de fora.

    O presidente do governo regional, Carlos César, anunciou sexta-feira um conjunto de medidas destinadas a revitalizar a actividade económica nas ilhas, depois de ter reunido na ilha Terceira com os presidentes das Câmaras do Comércio do arquipélago.

    Embora o conjunto de medidas anunciadas possam constituir um "paliativo para o sufoco financeiro" das empresas, António Soares Marinho considerou que estas não se afirmam como "consistentes para a consolidação da sua actividade futura" e deixam de fora as famílias.

    Perante esta realidade, o PSD/Açores vai propor no parlamento regional a implementação de um programa de pagamento a tempo para gerar maior liquidez nas empresas, o lançamento de obras públicas de menor dimensão, possibilitando oportunidades de negócios a empresas locais, criação de uma sistema de saneamento financeiro das empresas e a alteração da cobrança de IVA através do recibo.

    No que diz respeito às famílias, os social democratas pretendem criar incentivos ao emprego feminino, através de políticas de conciliação da vida profissional e familiar e aumentar o poder de compra das famílias com a despenalização fiscal, apontando como exemplo a redução das taxas nacionais de IRS.

    "Assim como aceitamos como válidas as propostas que o Governo apresentou, apesar da sua insuficiência, desafiamos o Governo e a maioria parlamentar do PS a aceitar as propostas que o PSD apresentar", afirmou António Soares Marinho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.