Açoriano Oriental
Clima de segurança que se vive em Portugal tem criado investimento

Portugal é um dos países mais seguros do mundo e, segundo a ministra da Administração Interna, o clima de segurança gera um ambiente favorável à captação de investimento estrangeiro e à fixação de mais residentes de outros países europeus.


Autor: Lusa/AO online


Constança Urbano de Sousa foi a convidada de um almoço organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola com empresários, no qual falou da área da segurança, combate ao terrorismo e criminalidade transnacional, do aumento de fluxo de imigrantes e de refugiados, do investimento estrangeiro, do aumento do número de residentes e da “boa cooperação” entre Portugal e Espanha.

“Portugal é um dos países mais seguros do mundo e desde 2008 temos registado uma descida muito sustentada e continua da criminalidade geral, com uma redução entre 2008 e 2016 de 21% a menos e da criminalidade violenta e grave de 32% neste período temporal”, revelou a ministra.

No primeiro semestre desde ano, os dados provisórios indicam que a tendência de descida se mantém em comparação com o período homólogo do ano passado, na ordem dos nove por cento.

“Os vários index internacionais classificam-nos na terceira posição como um dos países mais seguros do mundo”, reforçou.

Em Portugal há um clima de segurança e de tranquilidade pública que tem permitido, segundo Constança Urbano de Sousa, o desenvolvimento económico do país e o investimento, tendo estas duas vertentes um “enorme valor acrescentado em termos de competitividade e para a recuperação económica e financeira.

O clima de segurança também tem contribuído para que Portugal se consolide como um destino preferencial de fluxo de pessoas.

“Só em 2016 o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras controlou mais de 15 milhões de pessoas, um aumento de um milhão em relação ao ano transato” disse a governante adiantando que também o número de residentes estrangeiros tem aumentado situando-se nos 400 mil, dos quais mais 80% fazem parte da população ativa, com preponderância entre os 20 e os 39 anos.

Constança Urbano de Sousa apontou ainda a importância da atribuição de 'vistos gold' (autorização de residência para investimento) totalizando, em 2016, quase mil milhões de euros de investimento.

Na área do combate ao terrorismo e à criminalidade transnacional e organizada, a ministra da Administração Interna destacou a importância da partilha de informação e cooperação entre as forças e serviços de segurança.

“Eixo vital para a prevenção e combate destes fenómenos é a cooperação e a partilha de informação. Embora Portugal nunca tenha sido palco de nenhum atentado terrorista e mantém, de acordo com uma avaliação diária, o nível moderado de ameaça”, sublinhou a ministra destacando, o Ponto Único de Contacto (PUC) que agrega todas as estruturas de cooperação policial existentes.

No final da sua intervenção, Constança Urbano de Sousa destacou as “excelentes, mas discretas relações entre Portugal e Espanha” que se desenrolam através de “um diálogo contínuo e uma cooperação muito estruturado”.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.