Vantagem dada pelas sondagem pouco segura

Brown deve esperar até 2009 para marcar eleições


 

Lusa / AO online   Internacional   27 de Set de 2007, 20:57

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, deve aguardar por Junho de 2009 para agendar eleições legislativas, pois a vantagem dada pelas sondagens é pouco segura, afirmaram quinta-feira analistas políticos em Londres.
Várias sondagens divulgadas nas últimas semanas mostram uma vantagem do Partido Trabalhista de entre cinco e 11 pontos percentuais face ao principal rival, o Partido Conservador, aumentando a especulação sobre se Brown irá marcar eleições antes ao final do ano. 

Mas Patrick Dunleavy, professor de Ciência Política na universidade London School of Economics (LSE), avisa que esta decisão seria um erro, pois Brown, em funções desde 27 de Junho, ainda está a beneficiar do facto de ser ainda "novo" no cargo. 

"A subida de popularidade é o que se pode esperar de um novo primeiro-ministro e a vantagem não é mortal", sublinhou hoje, num encontro com jornalistas. 

O analista considera que a sondagem com melhores resultados para os trabalhistas poderá estar exagerada por ter sido realizada na véspera do congresso deste partido - que termina hoje - e contaminada pela exposição mediática do evento. 

Outro factor para Dunleavy ver estes números com desconfiança é a sua opinião de que "os britânicos deixam de pensar em política no início do Verão e durante vários meses".

Segundo o académico, só em Outubro, "depois do congresso dos conservadores", de 30 de Setembro a 03 de Outubro, é que deverá ser possível ter uma ideia mais credível das intenções de voto no Reino Unido. 

Apesar da especulação e do incentivo de vários deputados trabalhistas, o primeiro-ministro tem evitado comentar a hipótese de agendar eleições para este ano, afirmando que quer "continuar a trabalhar". 

A legislação britânica determina que devem realizar-se eleições parlamentares cada cinco anos, tendo as últimas eleições decorrido a 05 de Maio de 2005. 

Para Dunleavy, Junho de 2009 é a data mais provável para se realizarem eleições, pois assim os trabalhistas poderiam perceber as tendências de voto nas eleições locais marcadas para Maio daquele ano. 

Além disso, evitaria "irritar" com uma eleição durante o Outono os eleitores, que "não gostam de votar, ainda menos à chuva", ironizou. 

Quanto ao "estado de graça" que Gordon Brown ainda goza junto dos eleitores, Tony Travers, consultor político ligado à LSE, estima que dure "até ao Natal", em resposta a uma questão da agência Lusa. 

De acordo com as sondagens mais recentes, o sucessor de Tony Blair tem uma vantagem de oito e 13 pontos percentuais sobre o principal rival, o líder conservador, David Cameron, em termos de satisfação junto dos eleitores. 

Ainda sustentados nas sondagens, os dois analistas afirmaram que, actualmente, os assuntos mais importantes para a opinião pública são o combate ao crime, a imigração e o terrorismo, desvalorizando o interesse sobre o tratado europeu. 

Fazendo referência à campanha do tablóide "The Sun" para forçar o primeiro-ministro a convocar um referendo para aprovar o novo tratado "reformador" - que recolheu 16 mil assinaturas -, Travers disse que o jornal "não vai conseguir convencer os leitores".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.