Conjuntura

Actividade e clima económico agravam-se em Agosto e Setembro


 

Lusa/AOonline   Economia   17 de Out de 2008, 12:04

O indicador de clima económico para Portugal para Setembro agravou-se tal como o de actividade económica para Agosto, tendo este último registado o mínimo desde finais de 2003, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE).
O indicador de clima económico abrandou para 0,1 pontos em Setembro, contra 0,2 registados no mês anterior.

    Já o indicador de actividade económica, cujos números disponíveis reportam-se a Agosto, recuou para 0,4 pontos, uma baixa de três décimas face ao valor de Julho.

    O INE explica que a informação qualitativa nacional "disponível para Setembro não reflectirá totalmente os desenvolvimentos da crise financeira, uma vez que inclui respostas reciolhidas até 24 de Setembro".

    Tendo em conta o impacto negativo que a crise financeira tem tido na actividade económica é de esperar que os valores dos próximos meses devam reflectir uma degradação das condições.

    Segundo a Síntese Económica de Conjuntura do INE, o indicador de consumo privado recuperou em Agosto, "embora de forma menos intensa que no mês anterior, em resultado do andamento positivo do consumo duradouro, enquanto o corrente estabilizou".

    O INE explica que a recuperação do indicador de consumo nos últimos dois meses "estará em parte relacionada com ajustamentos a anteriores alterações do IVA e no Imposto sobre Veículos".

    Já o investimento agravou-se, com o indicador da Formação Bruta de Capital Fixo a abrandar especialmente no investimento em material de transporte.

    Do lado da oferta, os serviços e a construção mostraram tendências de "deterioração", enquanto o sector industrial recuperou.

    No comércio internacional, em Agosto, tanto as exportações como as importações praticamente estabilizaram, com uma ligeira subida de uma décima.

    As vendas para o exterior aumentaram 2,8 por cento, contra 2,7 por cento em Julho, e as compras a países terceiros subiram para 8,6 por cento, contra 8,5 por cento anteriores.

    Com base na informação disponível até Agosto, o INE refere que o emprego terá abrandado nos últimos três meses, "invertendo o acentuado movimento ascendente que registava desde o início de 2007".

    Em Setembro, a inflação homóloga foi de 3,1 por cento mais uma décima que no mês anterior.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.