Cooperação

Macau e Guangdong acordaram reforço da cooperação para 2009


 

Lusa/AO Online   Economia   5 de Dez de 2008, 08:16

Macau e a província continental chinesa de Guangdong acordaram o reforço em 2009 de acções conjuntas de promoção da qualidade de vida das populações, cooperação ao nível dos serviços, comércio, infra-estruturas e áreas sócio-culturais.
No âmbito das relações bilaterais, que durante dois dias estiveram em análise, os responsáveis políticos de ambos os lados acordaram “intensificar e aperfeiçoar” os mecanismos existentes e “promover a segurança de produtos alimentares e da qualidade da água além de garantir o abastecimento regular de energia eléctrica (a Macau) e a protecção do meio ambiente, para salvaguarda e enriquecimento das condições de vida das populações”.

    Numa conjuntura desfavorável devido à crise mundial, o líder do Governo de Macau, Edmund Ho, defendeu o aprofundar as relações e a abertura de novas áreas de cooperação “como formas de, em conjunto, enfrentar os desafios, garantir a estabilidade social, melhoria da qualidade de vida das populações, optimização do mercado e das estruturas industriais e, consequentemente, o desenvolvimento sustentável”.

    Tendo em consideração a experiência de Guangdong, Macau quer intensificar a cooperação em áreas como as “indústrias de convenções e exposições, turismo, logística, medicina tradicional chinesa e indústrias culturais” e potenciar as “sinergias” de plataforma entre a China e os Países de Língua Portuguesa para a abertura de novos mercados internacionais para as empresas da província.

    A melhoria das condições nas fronteiras, a aposta em infra-estruturas regionais de acessibilidades, projectos conjuntos de desenvolvimento como na Ilha da Montanha, situada em frente a Macau, e interligação da rede de transportes regional às locais, foram objectivos traçados durante o encontro que contou também com a participação do Governador de Guangdong, Huang Huahua.

    Os dois lados querem ainda intensificar a cooperação nas áreas policial, cultural, educação, assistência médica ou desporto, bem como estreitar o intercâmbio entre governos e entidades privadas e cívicas.

    No âmbito dos trabalhos, Macau e Guangdong, a província chinesa que mais serviços presta a Macau e que é também o maior fornecedor de bens ao território, assinaram protocolos de cooperação em várias áreas da economia ao urbanismo, ensino, medicina, desporto e cultura.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.