Cardiologia

Angiopatia inovadora vai utilizar stents bioabsorvíveis


 

Lusa/AO Online   Nacional   10 de Dez de 2009, 09:54

 O chefe do Serviço de Cardiologia do Hospital de S. João, Porto, revelou hoje à Lusa que nos próximos dois anos a intervenção para o desentupimento de artérias deverá sofrer "uma autentica revolução", com a entrada no mercado de um novo mecanismo capaz de ser absorvido pelo organismo.

"São os chamados stents bioabsorvíveis, que já foram testados em humanos e deverão começar a ser comercializados dentro de dois anos", disse João Carlos Silva.

Ao contrário do que acontece actualmente em que os stents metálicos (pequenas próteses), colocados no decorrer de uma angioplastia coronária, "ficam para a vida", o novo stent construído em material absorvível, "dissolve-se ao fim de nove meses a um ano".

Uma angiolastia é um procedimento médico que dilata a artéria coronária estreitada ou obstruída, devido à acumulação de "placas" (colesterol ou outras substâncias gordas), permitindo o retorno do fluxo normal de sangue. Quando a artéria está entupida, o coração não recebe oxigénio e sangue suficientes, causando dor torácica. Se a artéria ficar completamente bloqueada, geralmente por um coágulo sanguíneo, o oxigénio não consegue chegar ao coração, o que pode resultar num ataque cardíaco ou em lesões para o tecido cardíaco.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.