Açoriano Oriental
Maddie
Pais querem saber a verdade e razão para autoridades dizerem que está morta

A família de Madeleine McCann, criança desaparecida em 2007 no Algarve, procura respostas no caso em que foi identificado um suspeito na Alemanha, nomeadamente saber por que razão as autoridades alemãs acreditam que a menina está morta.

Pais querem saber a verdade e razão para autoridades dizerem que está morta

Autor: Lusa/AO Online

Embora numerosos suspeitos tenham surgido anteriormente no âmbito da longa investigação policial, o porta-voz da família McCann, Clarence Mitchell, disse que "parece que há algo diferente desta vez", numa alusão aos indícios.

"Em mais de 13 anos que levo a trabalhar com a família McCann, não me lembro da polícia ser tão específica sobre um suspeito", disse Mitchell à Sky News.

Madeleine McCann tinha apenas três anos quando desapareceu em 03 de maio de 2007, quando estava de férias com os pais num aldeamento turístico em Lagos, perto da praia da Luz.

As autoridades do Reino Unido e da Alemanha revelaram na quarta-feira que o suspeito tem 43 anos e atualmente está preso na Alemanha por outro crime, e que suspeito frequentava a área da praia da Luz, na época em a filha mais velha dos McCann desapareceu.

Mitchell referiu que a polícia pretende obter detalhes muito específicos sobre o movimento do cidadão alemão em 2007, nomeadamente com os telefonemas que ele recebeu na noite do desaparecimento de Madeleine e o facto de ter alterado o registo de seu carro no dia seguinte"

Por seu lado, Hans Christian Wolters, procurador em Braunschweig, Alemanha, disse aos jornalistas que os investigadores estão a trabalhar com a suposição de que Madeliene McCann está morta, admitindo mesmo que o cidadão alemão, de 43 anos, é suspeito de homicídio.

"Assumimos que a criança está morta", adiantou o investigador germânico.

Christian Hoppe, do Departamento Federal de Polícia Criminal da Alemanha, revelou à emissora pública alemã ZDF que o suspeito está atualmente preso na Alemanha pela prática de um crime sexual e que o ora detido viveu vários anos em Portugal e possui duas condenações anteriores por "abuso sexual de raparigas".

Hoppe disse que a polícia alemã não descarta que tenha havido um motivo sexual, nomeadamente que tenha decidido raptar a criança após inicialmente ter invadido o apartamento dos MCCann com intenção de roubar.

Hans Wolters não quis dar mais detalhes da identidade do suspeito para não comprometer a investigação em curso, embora a imprensa alemã tenha adiantado que se trata de Cristhian B.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.