Astronomia

Lua e Júpiter lado a lado no mês de novembro

Lua e Júpiter lado a lado no mês de novembro

 

Fernando Gutiérrez Pinheiro /Ciência na Imprensa Regional   Nacional   30 de Out de 2012, 11:42

A abrir o mês podemos ver a Lua a um grau de Júpiter (o dobro do diâmetro angular da Lua). Uma nova passagem da Lua junto a Júpiter dar-se-á no dia 29.

Noutro local no globo terrestre, por exemplo na África do Sul, a Lua chega a ocultar Júpiter na madrugada de dia 2. O conhecimento e o registo deste tipo de efeméride, em vários locais do globo, eram usados pelos navegadores no cálculo mais preciso da sua localização. Por esse motivo, observatórios astronómicos como os de Lisboa e Coimbra faziam a previsão de tais eventos.

O Quarto Minguante ocorrerá na madrugada de dia 7. Quatro dias depois teremos a Lua junto a Vénus, que continua a ser visto como estrela da manhã.

Este planeta está a aproximar-se cada vez mais do Sol no céu. Na noite de dia 15, Vénus estará quatro graus a Norte da estrela Espiga, a estrela mais brilhante da constelação da Virgem. Já sete dias após o Quarto Crescente, isto é na madrugada de dia 27, Vénus encontrar-se-á meio grau a Sul de Saturno.

Na madrugada de dia 17 espera-se o pico da chuva de meteoros das Leónidas. Mas os quinze meteoros por hora esperados em locais realmente escuros ficarão aquém do valor observado em anos anteriores.

Ao longo do mês a posição da Lua muda em relação ao Sol. Cada posição está ligada a uma fase da Lua: a Lua Nova ocorre quando ela está na direção do Sol, e a Lua Cheia dá-se quando ela está na posição contrária.

Como o plano em que a Lua roda em torno da Terra está inclinado relativamente ao plano da orbita da Terra em torno do Sol, na maioria das Luas Novas ela está acima ou abaixo do Sol. Igualmente o nosso satélite costuma passar sobre ou sob a sombra da Terra. Se assim não fosse a cada Lua Nova haveria um eclipse Solar, e a cada Lua Cheia um eclipse Lunar.

No entanto, a cada 25 semanas começa um período de 37 dias em que o sistema Sol-Terra-Lua pode estar relativamente bem alinhado. Este período chama-se Temporada de Eclipses, pois só nesta época do ano podem ocorrer eclipses do Sol e da Lua.

Visto que o intervalo de tempo entre duas Luas Novas (29,5 dias) é menor do que a Temporada de Eclipses, pode haver 2 eclipses de Sol (ou da Lua) numa mesma temporada. Tal é extremamente raro. O mais comum é ocorrer apenas um eclipse Sol e um da Lua por época.

Mesmo com dois eclipses garantidos por temporada podemos não ver nenhum. Tal sucederá ao eclipse solar total de dia 13, apenas visível no Pacífico Sul, e com o eclipse penumbral da Lua de dia 28, que terá terminado antes do nascer da Lua Cheia em Portugal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.