Açoriano Oriental
Governo dos Açores vai integrar 189 trabalhadores na Administração Regional

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores anunciou hoje, durante a sessão plenária no parlamento açoriano, que, até ao final do mês, serão integrados 189 funcionários no quadro da Administração Pública Regional.

article.title

Foto: Eduardo Costa
Autor: Lusa/AO Online

Durante o debate acerca da revisão orçamental, em que será inscrito um reforço de 59 milhões de euros para colmatar os prejuízos do furacão Lorenzo, Sérgio Ávila anunciou que serão integrados, “até ao final do mês, no quadro da Administração Pública Regional todos os trabalhadores com contrato a termo certo ou prestação de serviços há mais de dois anos”.

Além desses funcionários, que são 189 no total, “o Governo dos Açores decidiu, em articulação com o grupo parlamentar do PS, apresentar uma proposta que assegure a integração dos trabalhadores que estejam a desempenhar funções na Administração Pública Regional ou em empresas públicas regionais integradas no perímetro há, pelo menos, três anos com uma interrupção não superior a 120 dias, ao abrigo de programas de inserção socioprofissional”, informou o governante, sem adiantar quantos trabalhadores estarão nessa condição.

O líder parlamentar do BE/Açores, António Lima, lamentou a demora na decisão, afirmando que “é pena que não haja eleições todos os anos, porque assim a precariedade nos Açores seria muito menor”.

Também a bancada parlamentar do PSD denunciou a demora, tendo o deputado Bruno Belo recordado que o vice-presidente tinha dito que os trabalhadores ao abrigo de programas ocupacionais “não podiam ser integrados porque não tinham vínculos com a Função Pública” e questionou a demora na integração destas pessoas.

Já a representação parlamentar do PPM vê a proposta com “satisfação”, lembrando o apoio que o partido deu na manifestação que juntou 130 trabalhadores em Ponta Delgada.

“Isto é um daqueles momentos em que um pequeno partido como o PPM fez a diferença”, considerou.

A bancada socialista, autora da proposta de integração de trabalhadores ao abrigo de programas ocupacionais, lamenta as reações colhidas hoje no hemiciclo.

“Percebo o vosso incómodo, mas é uma boa medida que devia ser aplaudida e não criticada”, afirmou o deputado Carlos Silva.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.