Federação Agrícola dos Açores diz ser "absurdo" eliminar carne de vaca das cantinas

Federação Agrícola dos Açores diz ser "absurdo" eliminar carne de vaca das cantinas

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Set de 2019, 16:00

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, considerou hoje ser "totalmente absurdo" a anunciada eliminação do consumo de carne de vaca nas cantinas universitárias de Coimbra, sustentando que os agricultores são os primeiros defensores do ambiente.

Aos jornalistas, na Associação Agrícola de São Miguel, na Ribeira Grande, Jorge Rita defendeu a importância de se combater as alterações climáticas, mas pediu que tal não seja feito de "forma radical", nomeadamente com o "abolir de carnes" quando o não consumo de vaca "deveria ser optativo e não obrigatório".

"É preciso bom senso nessas medidas todas que se têm de tomar. O ambiente é de todos, não é só de alguns, e não há ninguém que respeite mais o ambiente do que os agricultores, que vivem diariamente do ambiente", realçou o responsável pela agricultura açoriana.

Na terça-feira, o reitor da Universidade de Coimbra anunciou que vai eliminar o consumo de carne de vaca nas cantinas universitárias a partir de janeiro de 2020, por razões ambientais.

Segundo o reitor da universidade, Amílcar Falcão, a eliminação do consumo de carne nas cantinas universitárias será o primeiro passo para, até 2030, Coimbra se tornar "a primeira universidade portuguesa neutra em carbono".

A carne de vaca será substituída "por outros nutrientes que irão ser estudados, mas que será também uma forma de diminuir aquela que é a fonte de maior produção de CO2 que existe ao nível da produção de carne animal".

Por ano, cerca de 20 toneladas de carne de vaca são consumidas nas 14 cantinas universitárias da Universidade de Coimbra.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.