Açoriano Oriental
Construção Civil pede previsibilidade nos investimentos públicos nos Açores

A Associação dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas dos Açores (AICOPA) apelou esta sexta feira ao Governo Regional para criar “previsibilidade” nos investimentos públicos, alertando para a necessidade de rever os “preços base dos concursos públicos”.

Construção Civil pede previsibilidade nos investimentos públicos nos Açores

Autor: Lusa /AO Online

“Viemos tentar sensibilizar o Governo Regional para a necessidade de um instrumento que possa criar alguma previsibilidade aos empresários do setor da construção civil no que toca ao investimento público no setor da infraestrutura e respetivamente orçamentação”, afirmou Alexandra Bragança.

A líder da AICOPA falava hoje após uma reunião com o chefe do Governo dos Açores, na sede da Presidência, em Ponta Delgada, a propósito do Plano e Orçamento da região para 2023.

Alexandra Bragança assegurou que os empresários estão “preparados para responder ao desafio” colocado pelas verbas do Plano de Recuperação e Resiliência e do Programa Operacional 2030 desde de que exista “constância e regularidade no lançamento dos procedimentos”.

“Não podemos é esperar que, durante um longo período de meses de um determinado ano, não sejam lançados concursos públicos e de repente, de um momento para o outro, sejamos confrontados com uma série de avisos de concursos”, vincou.

A empresária reforçou que “seria desejável que o investimento público fosse lançado paulatinamente ao longo de todo o ano”.

“Dada a elevada carência de mão-de-obra que se vive atualmente na região no nosso setor, se as empresas se virem confrontadas com uma grande concentração de início de obra numa determinada altura vai ser difícil, de facto, corresponder”, acrescentou.

A presidente da AICOPA alertou ainda que os “preços base” dos concursos públicos continuam a “não corresponder à realidade do mercado”, sendo necessário rever “projetos que já foram elaborados há algum tempo”.

“Para não atrasar o investimento público, seria importante rever estes valores para que os concursos não fiquem desertos e não se perca mais tempo com o lançamento de novos procedimentos concursais”, sinalizou.

Alexandra Bragança pediu ainda a implementação de uma “política estruturada na área da formação”, alertando que não se atrai jovens para o setor com “medidas casuísticas e cursos de curta duração”.

O presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), o social-democrata José Manuel Bolieiro, está a receber os parceiros sociais a propósito da elaboração das antepropostas de Plano e Orçamento para 2023, que devem ser discutidos em novembro na Assembleia Regional.

O Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) depende do apoio dos partidos que integram o executivo e daqueles com quem tem acordos de incidência parlamentar (IL, Chega e deputado independente) para ter maioria absoluta na Assembleia Legislativa Regional.



PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados