Índia

Nova Deli não quer acção militar contra Paquistão


 

Lusa/AOonline   Internacional   2 de Dez de 2008, 09:18

A Índia não tenciona empreender uma acção militar contra o Paquistão, afirmou  o ministro dos Negócios Estrangeiros indiano, Pranab Mukherjee, citado pela agência Press Trust of India.
Mukherjee falava à saída de uma reunião do Conselho de Segurança indiano, órgão máximo em matéria de assuntos militares e diplomáticos, convocado para debater a estratégia a adoptar após os ataques contra Bombaim, que fizeram 188 mortos.

    A reunião, presidida pelo primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, incluía os ministros da Defesa, dos Negócios Estrangeiros e do Interior, bem como os comandantes chefes do exército, da marinha e da força aérea e o conselheiro de segurança nacional M. K. Narayanan, segundo um porta-voz do governo.

    A Índia acusou "elementos" vindos do Paquistão de estarem na origem dos atentados da semana passada e pediu a Islamabad que entregue a Nova Deli um grupo de alegados terroristas, cujos nomes constam de uma lista que Nova Deli lhe entregou.

    Por sua vez, o Paquistão propôs à Índia a criação de uma equipa conjunta para investigar os atentados de Bombaim.

    "O governo do Paquistão propôs um mecanismo de investigação conjunto. Nós estamos prontos a integrar uma equipa, neste sentido, para ajudar na investigação", afirmou à televisão nacional o chefe da diplomacia paquistanesa, Shah Mehmood Qureshi.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.