Açoriano Oriental
Marítimo encerra campeonato em 2019 com regresso às vitórias

O Marítimo regressou este sábado às vitórias, ao derrotar o Boavista por 1-0, no Funchal, em partida da 14.ª jornada I Liga portuguesa de futebol, a última das duas equipas na prova em 2019.

article.title

Foto: Homem de Gouveia/ Lusa
Autor: AO Online/ Lusa

O lance decisivo surgiu logo no primeiro minuto, com um autogolo de Idris a dar aos madeirenses o primeiro triunfo após seis jogos sem vencer no campeonato e de 10 em todas as competições, somando 15 pontos na 12.ª posição, marcando também a estreia a ganhar de José Gomes no comando técnico maritimista.

Já o Boavista perdeu o quarto dos últimos cinco encontros e continua com 18 pontos, correndo o risco de cair do nono lugar que ocupa.

O cronómetro nem marcava um minuto completo, quando o Marítimo fez golo, numa jogada feita no flanco direito, com um grande passe de Bebeto a lançar Nanu, que cruzou para a grande área e o capitão boavisteiro Idris cometeu a infelicidade de desviar para a própria baliza.

O Boavista respondeu aos seis minutos, naquela que foi a sua única oportunidade da primeira parte, em que Paulinho ficou perto do empate, mas o seu remate foi desviado por Zainadine.

A vantagem insular podia ter sido maior, valendo aos visitantes as intervenções de Bracali, a travar as finalizações de Getterson (12 minutos) e de Daizen Maeda (18).

A ganhar, o Marítimo procurou gerir o resultado, acautelando os contra-ataques rápidos do adversário e, ao mesmo tempo, tentando as suas próprias transições ofensivas, ainda que não tenham existido mais lances a registar até ao final da primeira parte.

Lito Vidigal mexeu ao intervalo, ao lançar Sauer para o lugar de Idris, mas acabou por sofrer uma grande contrariedade logo aos 47 minutos, com a expulsão com cartão vermelho direto de Dulanto, ao travar Erivaldo, que ficaria isolado. Na sequência do lance, o livre direto de Getterson saiu ao lado.

Ainda assim, a diferença numérica entre as duas equipas não era notória, pois o Boavista mostrava uma mentalidade mais atacante e o jogo desenrolava-se mais na área do Marítimo.

Os madeirenses ainda marcaram ao minuto 74, por Daizen Maeda, a aproveitar uma defesa incompleta de Bracali a remate de Getterson, mas o golo foi invalidado, devido à posição irregular do avançado internacional japonês.

Até o fim da partida, o Marítimo limitou-se a controlar a vantagem, a pedido do treinador José Gomes e do adjunto, que iam apelando à clama dos jogadores.

Após o apito final um grupo de adeptos ‘axadrezados’, que acompanhou a equipa portuense, contestou o treinador Lito Vidigal.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.