Governo tem armas para combater a crise mas há "questões" a melhorar

Governo tem armas para combater a crise mas há "questões" a melhorar

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Nov de 2013, 17:26

O PS/Açores diz que o Governo Regional tem armas para "amenizar o impacto" da austeridade nacional e combater o desemprego, embora reconheça que "há questões que têm de ser melhoradas".

As políticas de promoção de emprego estiveram no centro do debate entre os deputados do PS na Assembleia Legislativa dos Açores e os parceiros sociais, nas jornadas parlamentares do partido, que terminam esta quarta-feira, em Angra do Heroísmo.

"Há aqui uma convergência clara sobre a importância que devem ter as políticas de promoção de emprego, quer do ponto de vista imediato para a defesa dos postos de trabalho que já existem, quer a médio prazo, para a criação de emprego", frisou, em declarações aos jornalistas, Berto Messias, líder da bancada parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores.

Os deputados reuniram-se em jornadas parlamentares durante dois dias na ilha Terceira para analisarem o Plano e Orçamento da região para 2014, tendo ouvido os membros do Governo Regional socialista e representantes da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, da Associação dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas dos Açores (AICOPA) e da UGT/Açores.

Para Berto Messias, "há questões que têm de ser melhoradas" e os resultados das medidas que são implementadas têm de ser medidas "permanentemente", mas o Governo Regional tem armas para "amenizar o impacto da austeridade nacional".

"Há um conjunto de instrumentos estratégicos definidos pelo Governo dos Açores que darão certamente um bom contributo para o desenvolvimento dos Açores, quer do ponto de vista conjuntural, para resolver ou amenizar o impacto imediato da conjuntura em que vivemos, quer do ponto de vista estrutural, numa perspetiva de médio prazo", frisou.

Berto Messias referiu-se também às críticas que têm sido feitas pelo PSD e pela Federação Agrícola dos Açores às verbas destinadas à agricultura nos documentos orçamentais de 2014.

O líder parlamentar socialista, que se vai reunir na próxima semana com os representantes do setor primário, afirmou que há um reforço de verbas afetas à agricultura, ao contrário do que afirmou o PSD, mas mostrou-se disponível para "melhorar" o documento.

"Ninguém pode pôr em causa a importância que este governo dá ao setor agrícola e ao setor primário para o futuro dos Açores", frisou.

O plano anual de investimentos e o orçamento regional para 2014 serão debatidos e votados no parlamento dos Açores no final do mês.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.