Coliseu Micaelense recebeu 250 mil espectadores desde 2005


 

Lusa / AO online   Regional   24 de Out de 2007, 18:15

Um total de 250 mil espectadores assistiu aos 345 eventos realizados no Coliseu Micaelense, em Ponta Delgada, nos primeiros mil dias após a reabertura da sala de espectáculos em 2005, anunciou a administração esta quarta-feira.
No terceiro ano de actividade depois das obras de recuperação do edifício, Berta Cabral revelou que o Coliseu Micaelense recebeu uma média de cerca de dez eventos por mês, a que corresponderam 7.600 espectadores.

"Esta estatística representa uma participação média de 730 pessoas em cada evento realizado", afirmou Berta Cabral, acrescentando tratar-se de um indicador que coloca a sala de espectáculos "acima da média nacional".

Segundo a presidente do conselho administração, o Coliseu Micaelense tem apresentado uma programação "sem precedentes" ao nível da quantidade, qualidade e variedade, em resultado da polivalência que a infra-estrutura permite.

A versatilidade da sala permitiu realizar espectáculos de música clássica, popular e moderna, dança, teatro, circo, banquetes, bailes, feiras e congressos.

Berta Cabral adiantou, ainda, que o orçamento de exploração anual do Coliseu corresponde a cerca de um 1,5 milhões de euros, sendo integralmente suportado por receitas das bilheteiras, aluguer das instalações e patrocínios de privados.

A casa de espectáculos dispõem, ainda, de uma pólo museológico, onde estão expostas objectos que preservam a memória dos 90 anos do Coliseu Micaelense, uma valência que reabre brevemente ao público de forma permanente, indicou.

"O trabalho feito encarregou-se de provar que valeu a pena adquirir, recuperar, reactivar e desenvolver o Coliseu", assegurou a presidente do conselho de administração.

Inaugurado em 1917, o Coliseu Micaelense apresentou um elevado estado de degradação durante vários anos, o que levou a Câmara de Ponta Delgada a adquirir o imóvel em 2002.

O projecto do arquitecto Rogério Cavaca manteve as características iniciais do edifício, que ficou preparado para receber diversos tipos de espectáculos como ópera, circo, concertos de música, congressos e galas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.