"Alquimia da Cor" assinala chegada de 2009 no Funchal


 

Lusa/AO Online   Nacional   31 de Dez de 2008, 13:26

O ano 2009 chega hoje à Madeira com muita luz e efeitos da "Alquimia da Cor", o tema escolhido para o tradicional espectáculo pirotécnico na baia do Funchal que é há décadas o mais importante cartaz turístico da região.
  A comprovar este facto está a ocupação média global nas unidades hoteleiras da região a rondar os 90 por cento, um valor "ligeiramente inferior" à lotação esgotada registada em outros anos, mas que em tempo de crise é considerada "satisfatória" pela Secretaria Regional do Turismo.

    Este evento foi incluído no livro do Guiness em 2007 como o maior do planeta no género.

    Este ano, o Funchal foi o local escolhido pelo internacional Cristiano Ronaldo, que regressou à cidade natal com a família, para a passagem de ano, e por D.Duarte, Duque de Bragança.

    Milhares de pessoas, residentes e visitantes, vão assim assistir ao projecto de fogo de artifício da empresa portuguesa Macedos Pirotecnia que terá a duração de oito minutos, sendo composto por 72 mil disparos (17 toneladas) que serão projectados a partir de 38 postos, sendo que 24 foram colocados no anfiteatro da cidade, 8 na orla costeira e seis no mar.

    Este ano, estarão menos navios de cruzeiros na baía da capital madeirense, apenas cinco paquetes: "Balmoral", "Princess Danae", "Oriana", "Aida Bela" e o "Albatroz" que transportam cerca de 6500 passageiros.

    A "Alquimia da Cor" é composta por 26 momentos sequenciais e é um trabalho que envolve uma equipa de 95 pirotécnicos.

    O Governo Regional investiu mais de 1,2 milhões de euros neste espectáculo, o que representa um gasto de 150 mil euros por minuto.

    Os funchalenses contribuem para dar mais luz ao anfiteatro da cidade abrindo as luzes das suas casas, ficando iluminado o Funchal do mar à montanha.

    Depois do espectáculo a chegada do novo ano é celebrada em festas nos hotéis, discotecas, bares e em casas particulares.

    O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, assiste ao espectáculo de fogo a bordo do navio "Lobo Marinho" junto com a família.

    A segurança é também reforçada, tendo a PSP destacado 130 agentes, que vão controlar o tráfego automóvel que fica quase "caótico", o que obriga a alterações de trânsito em algumas artérias da cidade para tentar imprimir-lhe alguma fluidez.

    Bombeiros, Serviço de Protecção Civil e Sanas também estão de prevenção para alguma eventualidade.

   


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.