Açoriano Oriental
PSD quer saber quando entra em funcionamento a Escola do Mar

Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial querem saber quando vai entrar em funcionamento a Escola do Mar dos Açores (EMA), questionando o governo sobre “a oferta formativa que vai ter e todo um rol de questões em torno de um investimento que já se prolonga por muitos anos”.

PSD quer saber quando entra em funcionamento a Escola do Mar

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

De acordo com comunicado e num requerimento enviado à Assembleia Legislativa, Carlos Ferreira e Luís Garcia referem-se “à entrada em funcionamento, de forma efetiva e permanente, prometida para 2018, quando já estamos em 2020 - a pouco tempo da abertura do novo ano letivo - e ainda se desconhece a oferta formativa que a EMA vai proporcionar aos seus formandos, assim como o ponto da situação da instalação dos equipamentos necessários e previstos para o seu funcionamento”.

Os social democratas recuam até 2012, para lembrar que “a então chamada Escola de Formação de Marítimos dos Açores nasceu de um protocolo com a Universidade dos Açores, a Escola Superior Náutica Infante D. Henrique e a Câmara Municipal da Horta. São assim 8 anos de um investimento cujo processo já vai longo e que tarda a entrar em funcionamento”.

Carlos Ferreira e Luís Garcia sublinham que “é preocupante o desconhecimento em torno da EMA, porque já foram muitas as promessas relativamente à sua abertura, como em fevereiro de 2017, quando o Secretário Regional do Mar anunciou que a EMA deveria estar pronta dentro de um ano e que as aulas poderiam arrancar em 2018”.

E recordam que, em 2015, “Vasco Cordeiro anunciou que seriam cerca de 4,5 milhões de euros, para as obras nas instalações da antiga Rádio Naval e junto ao Porto da Horta, com edifícios de apoio para atividades de acesso direto ao mar, investimentos que iriam decorrer simultaneamente”.

Em janeiro de 2018, Vasco Cordeiro anunciou que o Governo iria lançar o concurso público - que só aconteceu em outubro desse ano - para a aquisição de equipamentos para a EMA, afirmando que em 2019 a Escola estaria em condições de entrar em funcionamento.

Em abril de 2019, foi o Secretário do Mar a anunciar que pretendia dar início, naquele mesmo ano, à atividade da EMA, com vários cursos de formação modular, acrescentando a oferta formativa a partir de 2020.

A esse nível, Carlos Ferreira e Luís Garcia perguntam se foi feita “alguma campanha de sensibilização e de informação sobre a oferta formativa da EMA, dentro e fora da Região”, porque consideram que o sucesso desta escola "depende da adesão dos jovens"

No requerimento enviado à ALRAA, os parlamentares pedem ainda cópia “do levantamento das necessidades formativas da Região em termos de assuntos do mar, que ficou a cargo, em 2013, do anterior presidente da Câmara Municipal da Horta, então nomeado coordenador do processo de instalação da EMA”.

Os social democratas concluem frisando que a EMA pode ser um instrumento fundamental para formar jovens, “direcionando-os para as novas profissões da economia do mar. Mas, infelizmente, o processo tem sido um atropelar de anúncios, sendo preocupante que, passado tantos anos, haja tão pouca informação e resultados e muito desconhecimento por parte dos jovens que são os seus potenciais alunos".

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.