Portugueses são solidários mas crise afetou dádivas de sangue

Portugueses são solidários mas crise afetou dádivas de sangue

 

Rui Jorge Cabral   Regional   11 de Dez de 2018, 10:34

A crise económica e financeira que afetou Portugal no início desta década e que levou milhares de jovens à emigração foi um dos fatores que afetou bastante a dádiva de sangue, que diminuiu bastante nos últimos anos.

“Em 2010, tínhamos em Portugal 45 dadores por mil habitantes, mas como a crise também nos afetou, porque partiram deste país cerca de 400 mil jovens, passamos a ter um número de dadores muito baixo entre os 25 e os 35 anos, pelo que tivemos um decréscimo da ordem dos 20 por cento no número de dadores de sangue e estamos atualmente nos 34 dadores por cada mil habitantes”, afirma em declarações ao Açoriano Oriental o presidente da Federação das Associações de Dadores de Sangue de Portugal (FAS - Portugal), Joaquim Mendes Silva.


Leia mais na edição desta terça-feira, 11 de dezembro 2018, do jornal Açoriano Oriental



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.