Ministro da Economia pede compreensão pelos sacrifícios


 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Out de 2011, 19:21

O ministro da Economia pediu aos portugueses que percebam a importância dos sacrifícios que têm de ser feitos em 2012, recusando-se a comentar as declarações do Presidente da República sobre o Orçamento do Estado

Álvaro Santos Pereira, que encerrou o primeiro dia do congresso dos economistas em Lisboa, disse ser "muito importante" que Portugal "perceba que os sacrifícios são absolutamente fundamentais para que o Estado possa por as suas contas em ordem".

Cavaco Silva afirmou de manhã na abertura do congresso que "há limites para os sacrifícios" e que o Orçamento do Estado para 2012 tem "falta de equidade fiscal", referindo-se à suspensão dos subsídios de férias e de Natal.

O ministro da Economia foi ao congresso dos economistas alertar para o problema do "elevadíssimo endividamento" do país, com efeitos diretos no crescimento económico.

Para Álvaro Santos Pereira, foram as "más políticas públicas e um modelo económico errado" que colocou Portugal na situação atual.

O ministro reafirmou a intenção do Governo em colocar no terreno políticas para aumentar a competitividade e baixar o défice externo.

Um novo código das insolvências e um novo plano extrajudicial de conciliação, bem como uma simplificação do código comercial serão as prioridades do Executivo.

Álvaro Santos Pereira que a política do Governo passa também por uma nova lei da concorrência já que não "se justifica que ainda haja setores protegidos", e uma aposta na diminuição das importações e valorização dos produtos nacionais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.