Governo açoriano e empresários veem sem surpresa quebra de receitas na hotelaria regional

Governo açoriano e empresários veem sem surpresa quebra de receitas na hotelaria regional

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Nov de 2012, 06:35

O delegado regional dos Açores da Associação de Hotelaria de Portugal, Humberto Pavão, disse hoje à agência Lusa que a quebra do número de dormidas na hotelaria açoriana "era expectável" e "até poderia ser pior".

"Aquilo que estava previsto com o cancelamento das operações dos escandinavos era que ia haver uma redução muito maior, mas os outros mercados estrangeiros compensaram alguma da quebra", disse Humberto Pavão, num comentário aos dados hoje divulgados pelo Serviço Regional de Estatística.

"Se o mercado português tivesse sido normal até tínhamos tido um aumento durante o ano. No entanto, a partir de maio e até setembro o mercado que mais nos visita quebrou - que é o mercado nacional - e isso já estava previsto com o agravamento da situação económica no país", admitiu o também empresário do setor.

Os números publicados hoje dão conta de que a hotelaria açoriana sofreu uma quebra nas dormidas de 6,7% nos primeiros nove meses do ano em relação ao mesmo período de 2011.

Na perspetiva do secretário regional de Turismo e Transportes dos Açores, Vítor Fraga, estes "estão longe de serem bons números para a região".

"A principal quebra no setor verifica-se no mercado nacional, onde a conjetura atual assim o proporcionou, contudo, os Açores têm vindo a desenvolver um conjunto de ações junto de outros mercados emissores para atenuar esta quebra no mercado interno", admitiu o novo responsável pela pasta nos Açores.

Vítor Fraga destacou ainda que a estratégia do Governo Regional dos Açores vai continuar na aposta em mercados onde já há “uma presença consolidada e por mercados emergentes onde será desenvolvido um trabalho em conjunto na perspetiva de canalizar fluxos turísticos para a região".

"Aquilo que estava previsto com o cancelamento das operações dos escandinavos era que ia haver uma redução muito maior, mas os outros mercados estrangeiros compensaram alguma da quebra", disse Humberto Pavão, num comentário aos dados hoje divulgados pelo Serviço Regional de Estatística.

"Se o mercado português tivesse sido normal até tínhamos tido um aumento durante o ano. No entanto, a partir de maio e até setembro o mercado que mais nos visita quebrou - que é o mercado nacional - e isso já estava previsto com o agravamento da situação económica no país", admitiu o também empresário do setor.

Os números publicados hoje dão conta de que a hotelaria açoriana sofreu uma quebra nas dormidas de 6,7% nos primeiros nove meses do ano em relação ao mesmo período de 2011.

Na perspetiva do secretário regional de Turismo e Transportes dos Açores, Vítor Fraga, estes "estão longe de serem bons números para a região".

"A principal quebra no setor verifica-se no mercado nacional, onde a conjetura atual assim o proporcionou, contudo, os Açores têm vindo a desenvolver um conjunto de ações junto de outros mercados emissores para atenuar esta quebra no mercado interno", admitiu o novo responsável pela pasta nos Açores.

Vítor Fraga destacou ainda que a estratégia do Governo Regional dos Açores vai continuar na aposta em mercados onde já há “uma presença consolidada e por mercados emergentes onde será desenvolvido um trabalho em conjunto na perspetiva de canalizar fluxos turísticos para a região".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.