FC Porto em 'serviços mínimos' vence Santa Clara e amarra liderança

FC Porto em 'serviços mínimos' vence Santa Clara e amarra liderança

 

Lusa/Ao online   Futebol   21 de Abr de 2019, 11:39

O FC Porto venceu este sábado o Santa Clara por 1-0, em partida da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que permite aos ‘dragões' regressarem, à condição, ao comando do campeonato.

Numa partida em que os comandados de Sérgio Conceição não tiveram particularmente inspirados, valeram os ‘serviços mínimos' com o golo apontado por Marega, aos 18 minutos.

Com este resultado, o FC Porto passa a somar 75 pontos, mais três que o Benfica, que só joga segunda-feira, na receção ao Marítimo.

Já o Santa Clara, que somou o terceiro jogo consecutivo sem vencer, acaba nesta, jornada, ultrapassado pelo Rio Ave, caindo para o nono lugar, com os mesmos 38 pontos.

Os ‘dragões’, com Pepe fora das opções, e Corona no banco, entraram no jogo a denotar o desgaste físico do jogo de quarta-feira, frente ao Liverpool, da Liga dos Campeões, sentindo dificuldades para se posicionar, falhando alguns passes e dando espaço para que o Santa Clara pudesse explorar o contra-ataque.

Logo aos 10 minutos, os açorianos, que vinham de dois empates consecutivos, chegaram mesmo a introduzir a bola na baliza de Casillas, num contragolpe finalizado por Guilherme Schettine, mas invalidado por fora de jogo.

O lance serviu, ainda assim, de alerta para os comandados de Sérgio Conceição, que, pouco depois, conseguiram responder, mas viram Soares desperdiçar um desvio, após solicitação de Herrera.

Do outro lado, o Santa Clara não revelava ser ‘presa fácil', e num remate de longe de Kaio, que o guarda-redes portista segurou, quis marcar posição, embora acabasse, depois, por claudicar no seu processo defensivo.

Isto porque, aos 18 minutos, numa arrancada do FC Porto, Otávio ganhou espaço para esboçar um remate, que foi desviado pelo guardião Marco, acabando a bola por sobrar, caprichosamente, para Marega, que, com a baliza à mercê, encostou para o 1-0.

Pensava-se que o golo poderia tranquilizar os ‘azuis e brancos', mas a equipa nortenha parecia não disfarçar um menor fulgor, espelhado na falta de intensidade colocada no terreno.

Indiferente a isso, os insulares mantiveram-se a espreitar o contra-ataque, e além de novo golo anulado a Schettine, também por fora de jogo, ainda tiveram num remate de Osama Rashid, de longe, oportunidade para beliscar a vantagem portista, que se manteve até ao intervalo.

O tempo de descanso não trouxe melhorias ao FC Porto, que, mesmo mantendo-se por cima, continuava a denotar pouca desenvoltura no meio campo, com consequência nas movimentações ofensivas.

Acabou, assim, por pertencer ao Santa Clara a melhor oportunidade no arranque do segundo tempo, num cabeceamento do ‘inevitável' Guilherme Schettine, que Casillas respondeu com uma das defesas da noite.

Sérgio Conceição tentou corrigir alguma apatia, lançando Corona e, mais tarde, Fernando Andrade no jogo, cabendo ao mexicano uma boa oportunidade para dilatar a vantagem, aos 67 minutos, com um remate forte, mas por cima.

Aos 75 minutos, foi vez do Fernando Andrade surgir, também, em boa posição, mas igualmente sem a melhor pontaria, rematando para boa defesa de Marco.

Com o avançar do cronometro, as ‘pilhas' do Santa Clara também foram acusando desgaste, com a equipa açoriana a não conseguir libertar-se da maior pressão do FC Porto, que manteve o encontro controlado até ao final.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.