Açoriano Oriental
Conselho de ilha reivindica mais voos diretos entre o Pico e Lisboa

O conselho da ilha do Pico quer mais voos diretos com o continente e que seja instituído um voo diário entre Lisboa e a ilha do Pico durante a época alta.

Conselho de ilha reivindica mais voos diretos entre o Pico e Lisboa

Autor: Lusa/AO Online

Estas são algumas das reivindicações que constam num memorando que o conselho da ilha vai apresentar ao Governo dos Açores, por ocasião da visita estatutária ao Pico, que se realiza na sexta-feira e no sábado.

"Reivindica-se o aumento do número de voos diretos com o continente, justificando-se a criação de um voo diário na rota Lisboa/Pico/Lisboa na época alta", lê-se no documento a que a agência Lusa teve acesso.

O conselho pede ainda ao Governo Regional para dotar a transportadora aérea SATA, empresa pública regional, de "mais aeronaves e tripulações que permitam assegurar as ligações dentro das suas datas e horários".

Na área dos transportes, os conselheiros pedem também a "concretização de uma verdadeira rede de transportes públicos terrestres" entre os três concelhos da ilha e solicitam informações acerca do estado de ampliação do aeroporto do Pico.

No âmbito das políticas de saúde, o conselho de ilha reitera a "necessidade do aumento de consultas de especialidade", como forma de "minimizar a deslocação de utentes a outras ilhas", sobretudo nas áreas da pediatria e pré-natalidade.

Os picoenses pedem também a "melhoria das condições" na prestação dos cuidados de saúde, realçando que aquela ilha não é dotada de hospital.

"Pugnar pela melhoria das condições para a prestação de cuidados de saúde, nomeadamente mais recursos humanos e equipamentos, em especial nas ilhas sem hospital que devem merecer maior prioridade relativamente a ilhas com hospital", lê-se no documento.

O memorando pede a "harmonização e interligação administrativa" entre os serviços de unidade saúde do Pico e o Hospital da Horta, no Faial, para simplificar a "deslocação de doentes".

Também são solicitadas informações acerca dos trabalhos de beneficiação nos edifícios do centro de saúde das Lajes e de São Roque do Pico, bem como sobre o "estado de construção da nova fábrica da Cofaco".

Em maio de 2018, a conserveira Cofaco, dona do atum Bom Petisco, encerrou a fábrica da ilha do Pico, despedindo 162 trabalhadores, com o compromisso de abrir uma nova unidade fabril até janeiro de 2020, com capacidade inicial para 100 trabalhadores e a possibilidade de aumentar o efetivo até 250.

O memorando destaca a "necessidade de obras de defesa" na orla costeira das Lajes do Pico e a "reparação do molhe de proteção que se apresenta muito danificado".

Governo dos Açores inicia esta sexta-feira uma visita estatutária de dois dias à ilha do Pico, onde irá reunir-se com o conselho de ilha e visitar zonas afetadas pela passagem do furacão Lorenzo.

Na agenda da viagem, o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, irá presidir à apresentação de um projeto para a reparação do molho do porto das Lajes do Pico, danificado pelo furacão Lorenzo, no início de outubro de 2019.

Durante a visita estatutária, Vasco Cordeiro também irá inaugurar a ampliação do quartel dos bombeiros das Lajes do Pico, bem como dois reservatórios de abastecimento de água destinado aos agricultores da ilha.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.