CGTP preocupada com lógica de eliminação de despesa na contratação de professores

CGTP preocupada com lógica de eliminação de despesa na contratação de professores

 

Lusa/Aonline   Nacional   1 de Set de 2011, 19:18

O secretário-geral da CGTP disse hoje que o número de professores contratados não colocados este ano nas escolas é uma “preocupação enorme” para a confederação sindical, sobretudo porque decorre apenas de “uma lógica de eliminação de despesa pura e simples”.

No final de uma reunião com o ministro Nuno Crato, que esta tarde decorreu no Ministério da Educação, em Lisboa, Carvalho da silva disse à agência Lusa estar preocupado com os números conhecidos na quarta-feira, que apontam para cerca de 37 mil professores contratados não colocados este ano nas escolas.

“Há um reconhecimento do ministério que este número é verdadeiro. Isto é preocupante. Trata-se de uma camada de portugueses essencialmente jovens e qualificados”, disse Carvalho da Silva, que criticou também a fundamentação deste corte.

“Este corte não é porque os [professores] não sejam necessários, é porque não há dinheiro. Mal do país cuja estratégia de educação e ensino se centra não nas necessidades do país, mas numa lógica de eliminação de despesa pura e simples”, lamentou o sindicalista.

Sobre a reunião com Nuno Crato, Carvalho da Silva adiantou que se iniciu hoje um “debate sobre problemas prementes”.

Em cima da mesa estiveram questões como as medidas necessárias para garantir a escola pública, o insucesso escolar, a formação pré-escolar e a formação profissional, tendo, em relação a este último ponto, referido o programa Novas Oportunidades, para o qual defende a introdução de medidas qualitativas.

Quanto às condições laborais de professores e pessoal não docente, Carvalho da silva criticou aquilo que diz ser “uma linha de decisões muito dependente de cortes orçamentais”, dando como exemplo a contratação de pessoal não docente por valores que rondam os três euros por hora.

“É uma situação escandalosa que tem de ser revista”, defendeu ainda o líder da CGTP-Intersindical.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.