Liga Sagres

Sporting de Braga trava "veia" goleadora do Benfica

Sporting de Braga trava "veia" goleadora do Benfica

 

Lusa/AOnline   Futebol   31 de Out de 2009, 21:45

O Sporting de Braga venceu o Benfica por 2-0, com golos de Hugo Viana e Paulo César, num emocionante jogo de futebol, com polémica à mistura, e isolou-se na liderança do campeoanto, agora como única equipa sem derrotas

Foi um grande jogo no Estádio Municipal de Braga que ficou marcado pelo golo madrugador da equipa da casa, Hugo Viana (07), e por muita tensão entre os jogadores à saída para o intervalo que valeu a expulsão de um jogador de cada equipa, André Leone e Cardozo, por agressões no túnel.

O Sporting de Braga continua a não assumir-se como candidato ao título, mas segue isolado na frente e já venceu os "três grandes".

O Benfica teve várias oportunidades por marcar, mas umas vezes por inépcia, outras por boas intervenções do guarda-redes internacional português, Eduardo, nunca conseguiu alvejar com êxito a baliza adversária, facto inédito nesta edição da Liga.

Ambas as equipas repetiram os "onzes" da jornada anterior, sendo que foi a primeira vez que tal aconteceu no Benfica, destacando-se a continuidade da aposta em Fábio Coentrão no lado esquerdo da defesa.

O Sporting de Braga entrou melhor em jogo, mais pressionante e rápido sobre a bola e logo aos sete minutos chegou ao golo, um grande golo de Hugo Viana, na cobrança de um livre directo da direita, em jeito de canto mais curto, a levar a bola ao ângulo superior mais distante.

A resposta do Benfica não tardou (09): Saviola comanda um rápido contra-ataque e serve Ramires que, já bem dentro da área, obrigou Eduardo a intervenção difícil.

O Benfica buscava o empate a todo o custo e aos 13 minutos Di Maria, com um remate cruzado, esteve perto, mas Eduardo voltou a salvar com uma grande defesa.

Aos 27 minutos, lance polémico na área minhota: livre de Aimar e Luisão introduz a bola dentro da baliza, mas instantes antes já Jorge Sousa tinha apitado uma falta de Cardozo sobre André Leone, suscitando muitos protestos dos jogadores e responsáveis benfiquistas.

Pouco depois (29), novo ataque "encarnado" a criar grandes desequilíbrios na defesa "arsenalista" com Ramires a não chegar por muito pouco a um centro de Di Maria.

O Benfica não marcou e o Sporting de Braga voltou a equilibrar a contenda, sempre pela batuta de Hugo Viana, e criou duas boas oportunidades para aumentar a vantagem, primeiro por Mossoró (39) e depois por Alan (41), com Quim em evidência.

O jogo seguia frenético e a saída para o intervalo ficou marcada pela enorme confusão entre os jogadores de ambas as equipas.

Após o reatamento, foi o Benfica, já sem Cardozo - melhor marcador do campeonato, com 11 golos -, a entrar mais forte, com Fábio Coentrão e Di Maria a semearem o pânico na área bracarense, mas sem sucesso.

O Braga reagiu muito bem ao assédio benfiquista, com muita serenidade a meio-campo, enquanto o Benfica dependia quase exclusivamente do empenho de Di Maria e desperdiçava mais uma oportunidade, por Keirrison (72).

Mas seria mesmo a equipa da casa a marcar o segundo, por Paulo César (78), após uma grande jogada de Matheus na direita, colocando em completa euforia os adeptos "arsenalistas".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.