Futebol

Robert Enke, ex-guarda-redes do Benfica morre aos 32 anos

Robert Enke, ex-guarda-redes do Benfica morre aos 32 anos

 

Lusa/AO online   Futebol   10 de Nov de 2009, 19:25

O guarda-redes internacional alemão Robert Henke, ex-guarda-redes do Benfica, que alinhava no Hannover 96, da primeria divisão alemã, morreu hoje aos 32 anos, deixando mulher e uma filha adoptiva de oito meses

"Tudo indica que se suicidou", disse um porta-voz da polícia de Hannover ao site Spiegel Online.

"Posso confirmar a triste notícia, mas de momento não posso dar pormenores", disse à mesma publicação Robert Neblung, amigo e agente do jogador, que alinhou no Benfica entre 1999 e 2002.

Enke morreu na numa passagem de via férrea em Neustadtam Ruebenberge, na localidade de Eilvese, perto de Hannover.

"Houve um acidente mortal numa passagem ferroviária", disse Stefan Wittke, do gabinte de imprensa da polícia de Hannover.

O mesmo responsável explicou que "tudo indica que se tratou de suicídio".

"É uma notícia horrível", disse o presidente do Hannover 96, Martin Kind, que foi informado pela polícia no Aeroporto de Hannover, quando regressava de uma reunião da Liga Alemã de Futebol.

"Esperamso muito coisa, mas algo assim não, não sei o que aconteceu e porquê", disse Kind à agência alemã dpa.

O presidente do clube da primeira divisão alemã mostrou-se convicto, no entanto, de que a morte de Enke "não teve nada que ver com o futebol".

Devido a uma infecção bacterial, o antigo guarda-redes do Benfica esteve algum tempo afastado dos relvados, não participando nos jogos do seu clube nem sendo convocado para os últimos quatro encontros da selecção, depois de ter conquistado a titularidade.

Também não tinha sido chamado aos trabalhos da equipa nacional para os jopgos particulares com o Chile e a Costa do Marfim, a 14 e 18 de Novembro.

No entanto, o seleccionador Joachim Low tinha deixado claro que contava com ele para número um da baliza alemã no Mundial de 2010 na África do Sul.

Enke, internacional AA oito vezes, nasceu a 24 de Setembro de 1977, em Jena, na então República Democrática da Alemanha, e ao longo da sua carreira representou Carl Zeiss Jena, Borussia de Moenchengladbach, Benfica, FC Barcelona, Fenerbahçe, Tenerife e Hannover 96, no qual alinhava desde 2004.

Há três anos, Enke e sua mulher Teresa perderam a filha Lara, de dois anos, que tinha nascido com uma mal-formação cardíaca.

A Federação Alemã de Futebol recebeu a notícia logo após um dos treinos do estágio que está a realizar em Bona para o jogo com o Chile.

Entretanto, a federação publicou um comunicado em que manifesta o seu "profundo pesar" pela morte de Robert Enke, e o treinador Joachim Low e o director desportivo Oliver Bierhoff informaram os jogadores.

"Estamos todos muito chocados e sem palavras", disse Bierhoff à agência noticiosa alemã SID.

O governador da Baixa-Saxónia, Christian Wullf, mostrou-se também muito abalado com a notícia da morte de Enke.

"A Alemanha perdeu um atleta de excepção e uma pessoa sensível, que foi um exemplo para muitos, estamos de lutoe enviamos condolências à mulher à família, aos seus muitos amigos", disse Wullf num comunicado da chancleria do governo regional, em Hannover.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.