Republicanos acusam Obama de intransigência sobre teto da dívida

Republicanos acusam Obama de intransigência sobre teto da dívida

 

LUSA/AOnline   Internacional   12 de Out de 2013, 16:30

Os republicanos no Congresso norte-americano acusaram hoje o Presidente, Barack Obama, de ter recusado a proposta do partido sobre o teto da dívida, endurecendo o tom da discussão ao fim de dois dias.

“Fomos negociar e ele [Obama] não aceitou nenhuma proposta”, declarou o representante Darrell Issa, à saída de uma reunião à porta fechada na manhã de hoje.

Entretanto, Barack Obama considerou "um feito positivo" que os republicanos da Câmara de Representantes tenham concordado com a necessidade de evitar a suspensão dos pagamentos, a dias de acontecer, ainda que tenha instado a que se ponha fim o quanto antes à paralisação da administração federal, que já vai no 13.º dia.

Por seu lado, o líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes, Eric Cantor, mostrou-se desapontado com o resultado das conversas entre os dois lados: “Neste momento, espero que o Senado resista e que todos os republicanos falem a uma só voz. Estamos a tentar encontrar uma solução tão depressa quanto possível”.

De acordo com o diário Washington Post, o presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, afirmou que as negociações entre a liderança do partido e a Casa Branca tinham terminado, na sequência da rejeição de Obama.

O Presidente norte-americano havia acordado na sexta-feira com Boehner continuar a dialogar, mas disse não aceitar a elevação do teto da dívida só por seis semanas.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, indicou que Obama quer um acordo “limpo”, que não esteja condicionado à desistência da reforma da Saúde, legislada desde 2010, e a cortes em programas sociais para reduzir o défice.

Carney pediu aos republicanos para “não usarem a [ameaça] da suspensão de pagamentos como arma nas negociações” nem proporem um aumento do limite do endividamento de apenas seis semanas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.