PS Ribeira Grande acusa presidente da autarquia de "favorecer juntas de freguesia do PSD"

PS Ribeira Grande acusa presidente da autarquia de "favorecer juntas de freguesia do PSD"

 

Lusa/Ao online   Regional   26 de Jan de 2019, 17:25

O PS da Ribeira Grande acusou hoje o presidente daquela autarquia de São Miguel, Açores, Alexandre Gaudêncio, de “favorecer de forma nítida as juntas de freguesia do PSD, da sua cor partidária, em prejuízo do desenvolvimento harmonioso do concelho”.

“Não aceitamos, nem compreendemos os critérios pouco transparentes que são usados para efetuar as transferências ao abrigo dos contratos interadministrativos para as Juntas do PSD, prejudicando todo o concelho para favorecer os mais próximos”, sustentam os socialistas da Ribeira Grande, em nota enviada à imprensa, na sequência da reunião publica da Câmara Municipal realizada esta semana.

Os socialistas exemplificam com “as diferenças abismais de tratamento, na reunião pública de 24 de janeiro” em que “foi deliberado transferir para as Juntas de Freguesia do PSD cerca de 360 mil euros (99% das verbas) e apenas dois mil euros (1%) para as outras Juntas de Freguesia”, alegando que os autarcas socialistas “esperam há meses por uma reposta aos seus ofícios e pedidos”.

O vereador do PS/Ribeira Grande, Fernando Sousa referiu, citado na nota de imprensa, que “começa a ser mais que evidente que para o presidente da Câmara existem ribeiragrandenses de primeira e ribeiragrandenses de segunda. Primeiro estão os do PSD e todas as outras freguesias ficam para segundo plano”.

O PS Ribeira Grande considera “muito curioso que Alexandre Gaudêncio enquanto líder do PSD/Açores prega muito a favor da transparência e da coesão, mas depois como autarca na Ribeira Grande faz exatamente o contrário!”.

Os vereadores socialistas sublinham que votaram “a favor da realização dos contratos interadministrativos para delegação de competências nas freguesias", mas “não aceitam que Alexandre Gaudêncio e o seu executivo discrimine as freguesias em função da cor partidária” e "afetando quase 90% das verbas a oito freguesias, do PSD, e apenas 10% das verbas para as seis freguesias, do PS”.

"O concelho merece mais e um Presidente que se dedique a tempo inteiro e não esteja apenas preocupado com a sua campanha de ascensão ao poder, a qualquer custo", sustentam.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da autarquia refutou as acusações socialistas que disse serem "sem fundamento", alegando que a Câmara social-democrata “tem feito vários contratos interadministrativos em juntas socialistas”.

"Levamos uma série de protocolos para fazer face a projetos identificados. Esta Câmara tem vindo a fazer mais contratos independentemente da cor política", sustentou Alexandre Gaudêncio, dando como exemplo os investimentos "em localidades como a Maia e Santa Bárbara, juntas lideradas por executivos socialistas".

O autarca do PSD referiu que "o PS está a confundir contratos interadministrativos com investimentos nas localidades" e garantiu que este ano a Câmara prevê "fazer mais contratos com mais juntas", pelo que o comunicado socialista "revela má fé e desconhecimento do PS que não apresenta propostas para o concelho e só faz critica por criticar".

Alexandre Gaudêncio, que é lider do PSD/Açores, disse estar "tranquilo em relação ao trabalho da autarquia".

"O trabalho da Câmara está à vista e apresentamos uma serie de investimentos para 2019. Além disso, a Ribeira Grande é o concelho que tem mais investimento privado", sublinhou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.