Açoriano Oriental
PS/Açores elogia “apoio às pessoas” previsto no Plano e Orçamento para 2020

O líder da bancada do PS na Assembleia Legislativa dos Açores, Francisco César, elogiou esta quinta-feira as medidas propostas pelo Governo de "apoio às pessoas", inscritas no Plano e Orçamento para 2020.

article.title

Foto: PS/A
Autor: Lusa/AO Online

"O primeiro objetivo elencado nestes documentos, além da competitividade económica e do dinamismo da nossa economia, é apoiar as pessoas", destacou o deputado socialista, no encerramento das Jornadas Parlamentares do PS, que decorreram na ilha das Flores, acrescentando que isso só é possível através da melhoria dos rendimentos das famílias.

Francisco César deu como exemplo o reforço, previsto nas propostas de Plano e Orçamento, do rendimento dos jovens integrados nos programas Estagiar L e T, que passam a receber, por via do acréscimo nacional ao salário mínimo, que está a ser negociado no continente, mais 113,44 euros por mês no programa L e mais 36,66 euros por mês no programa T.

"Isto demonstra, mais uma vez, a aposta que estamos a fazer, ao nível da qualificação dos nossos jovens, e da fixação no mercado de trabalho de jovens açorianos, muitos deles acabaram as suas qualificações muito recentemente", frisou o líder parlamentar socialista.

A bancada parlamentar do PS na região realçou também o aumento do salário mínimo no arquipélago, que por via do acréscimo regional de mais 5%, correspondente 36,75 euros por mês, se situará em 666,75 euros, acima do resto do país.

A este propósito, Francisco César aproveitou para criticar as declarações do presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, Mário Fortuna, que entende que já não se justifica manter nos Açores um acréscimo ao salário mínimo nacional.

"O Dr. Mário Fortuna nunca quis nenhum aumento ao salário mínimo - eu já nem falo do acréscimo - porque sempre disse que o aumento do salário mínimo seria péssimo para as empresas, e que não conseguiriam suportar esses aumentos", recordou o líder parlamentar socialista, frisando que o acréscimo ao salário mínimo foi criado para minimizar os sobrecustos da insularidade: "que eu saiba, esses sobrecustos não desapareceram", afirmou.

A bancada do PS, que tem maioria absoluta no parlamento dos Açores, destacou ainda a proposta do Governo Regional de garantir um aumento real das pensões, que "será sempre maior que o valor da inflação", e também a proposta de integrar "todos os trabalhadores contratados há dois anos ou em regime de recibos verdes".

Apesar dos elogios às propostas de Plano e Orçamento do Governo para 2020, os socialistas dizem-se dispostos a aprovar propostas de outros partidos, desde que a oposição esteja também disposta a negociar com a maioria.

"O curioso é que os partidos que estão no centro político, muitas vezes, não querem negociar com o PS", esclareceu Francisco César, dando como exemplo o PSD, que no passado dizia à partida que não estaria disponível para viabilizar qualquer tipo de orçamento.

As jornadas parlamentares do PS decorreram nas Flores, ilha que está a sentir dificuldades no abastecimento de mercadorias, devido aos estragos provocados pelo furacão "Lorenzo" no porto comercial das Lajes, no início de outubro, assunto que os socialistas esperam ficar resolvido em breve.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.