Açoriano Oriental
Coronavírus
Profissionais dos hospitais do Médio-Tejo serão avaliados, diz administração

   O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) vai começar este sábado a avaliar os profissionais de saúde que regressaram de territórios de contágio do Covid-19, tendo adotado o novo procedimento após questionar a DGS e depois de três cirurgias adiadas.

article.title

Foto: EPA/MARIO CRUZ
Autor: AO Online/ Lusa

"Esta medida surge depois de ontem, dia 28 de fevereiro, ter existido um cancelamento de um tempo de bloco operatório reservado ao Serviço de Ginecologia/Obstetrícia" na unidade hospitalar de Abrantes, informou hoje em comunicado o Conselho de Administração (CA) do CHMT, tendo acrescentado que, "na ocasião, a cirurgiã principal optou por não operar com um outro profissional de saúde [um enfermeiro] por este último ter regressado recentemente de Itália", situação da qual "resultou o adiamento de três cirurgias".

Em sequência, o CHMT, que abarca as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém, decidiu hoje adotar novos procedimentos, nomeadamente de avaliação dos profissionais de saúde que regressaram recentemente ou venham a regressar de territórios de contágio do novo Coronavírus e após questionar a Direção-Geral de Saúde (DGS) sobre as medidas a tomar.

Tendo feito notar que o profissional de saúde em causa "cumpriu as orientações que estavam então em vigor, nomeadamente através do contacto com a Linha de Apoio Médico", o CA do CHMT, "perante esta fase, que é nova para todos", observa, refere ter decidido "nessa mesma altura pedir um parecer à Direção-Geral de Saúde, reportando esta situação na expectativa de receber orientações", o que sucedeu ainda durante o dia de sexta-feira.

"As orientações chegaram ao fim dessa mesma tarde do dia 28 de fevereiro e, perante essas mesmas orientações, decidiu o Conselho de Administração alocar os recursos da Unidade de Hospitalização Domiciliária do CHMT, EPE, também na avaliação destes profissionais de saúde recém-chegados de áreas afetadas pelo Coronavírus", pode ler-se no comunicado do CHMT.

Nesse sentido, "a equipa da Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD) do CHMT, EPE, fará a avaliação dos profissionais recém-chegados de áreas afetadas pelo Coronavírus", ou seja, "o profissional de saúde contactará a UHD através da respetiva linha telefónica" e aquela equipa "fará a avaliação seguindo os procedimentos em vigor, instituídos pela Direção Geral de Saúde, nomeadamente através de contacto com a Linha de Apoio Médico" (LAM).

"Esta avaliação poderá ser alargada aos familiares do profissional que habitem no mesmo domicílio", acrescenta.

Esta medida entra em funcionamento a partir do dia deste sábado, dia 29 de fevereiro, e manter-se-á enquanto for a mais adequada à situação em curso, conclui.

Questionado sobre outra medidas de prevenção, o CA deu conta que o plano de contingência do CHMT "está preparado e será implementado se a situação o justificar e de acordo com os vários níveis de criticidade", de acordo com as "orientações da Direção-Geral de Saúde", e com um acompanhamento da evolução da situação do Coronavirus através do "Grupo Coordenador Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência a Antimicrobianos e de uma equipa Multidisciplinar, "por forma a adaptar as respostas do CHMT às necessidades" que a situação venha a requerer.

"O CHMT, EPE, criará as zonas de isolamento que forem necessárias e caso se justifiquem, de acordo com as possibilidades físicas existentes nas suas três unidades hospitalares", refere, dando conta que o CHMT tem "22 quartos de isolamento com antecâmara e cerca de 50 quartos individuais que podem ser de isolamento para doentes contaminados com o novo Coronavirus, se a situação o justificar".

O CHMT refere ainda dispor de equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde que contactem com eventuais doentes contaminados pelo novo Coronavírus.

Em Portugal, até ao momento, os 59 casos suspeitos que fizeram testes nos hospitais deram todos negativos de coronavírus, que dá origem à doença Covid-19.

O surto do novo coronavírus, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de três mil mortos e infetou mais de 84 mil pessoas, de acordo com dados reportados por 57 países e territórios.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.