Profissionais de Turismo querem dignificação e valorização das carreiras


 

Lusa / AO Online   Regional   16 de Set de 2008, 15:49

Debater a promoção, dignificação e valorização dos profissionais de Turismo é o principal objectivo do primeiro congresso da associação do sector, que decorre em Novembro, em Angra do Heroísmo, nos Açores.
    Agostinho Peixoto, presidente da Associação de Profissionais de Turismo de Portugal (APT), disse hoje, em conferência de imprensa, que “são as pessoas o factor com maior valia para as empresas que querem ser competitivas e oferecer qualidade”.

    “O Turismo é considerado pelo Governo como um sector estratégico, para o qual são necessárias empresas que não funcionam sem pessoas e estas só podem responder positivamente se forem olhadas de outra forma e valorizado o seu desempenho”, sustentou.

    O congresso, que reúne cerca de duas centenas e meia de profissionais de Turismo, entre 21 e 23 de Novembro, em particular agentes de viagens, pretende estabelecer “um grupo de força com as associações empresariais e de turismo”.

    “O nosso objectivo é melhorar a actuação das empresas, dotando-as de recursos humanos com qualidade porque, se o Turismo é estratégico, as pessoas não podem ficar de fora”, explicou.

    Nesse sentido, pretendem sensibilizar as autoridades a “reconhecer as 80 profissões do sector que a APTP já identificou”, uma vez que “os perfis do catálogo para a formação profissional só reconhece 15”.

    Paralelamente, decorre a I Assembleia Ibero-Americana de Profissionais de Turismo, que junta diversos países como Argentina, Bolívia, Equador, México, Peru, Costa Rica, Colômbia, Chile Uruguai, Venezuela, Portugal e Espanha.

    O Brasil vai aderir à organização durante os trabalhos da assembleia, tendo Agostinho Peixoto revelado que já foram, também, convidados a aderir os restantes países de língua oficial portuguesa (PALOP).

    Na ocasião, a directora regional do Turismo, Isabel Barata, justificou o apoio do Governo açoriano a estas iniciativas “porque os Açores têm o problema da sazonalidade, sendo por isso necessário incentivar o turismo na época baixa”.

    Isabel Barata apelou a todos os agentes que contribuem para a imagem do Turismo açoriano, como os restaurantes, a hotelaria e o comércio “a usarem o máximo de profissionalismo e qualidade para garantir uma boa imagem da região”.

    “Este tipo de congressos de trabalho tem um efeito multiplicador, uma vez que normalmente quem neles participa volta com a família e incentiva familiares e amigos a fazerem o mesmo”, acrescentou.

    Os participantes, para além de debaterem a requalificação e certificação dos recursos humanos, vão durante a sua permanência na ilha Terceira, manter encontros com responsáveis de escolas profissionais, da Universidade dos Açores e organismos do sector do turismo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.