Prémio Santareno de Teatro distingue carreira de Eunice Muñoz


 

Lusa / AO online   Nacional   2 de Nov de 2007, 14:43

A actriz Eunice Muñoz vai ser distinguida, dia 19, com o Prémio Santareno de Teatro "Carreira", enquanto "A Casa da Lenha", de António Torrado e encenado por João Mota, recebe o prémio "Melhor Espectáculo do Ano".
A "Grande Gala Santareno", promovida pelo Instituto Bernardo Santareno e que, desde 2006, distingue "a excelência do trabalho e várias gerações do teatro", vai este ano premiar as carreiras de Eunice Muñoz e de Luís Francisco Rebelo, disse hoje à agência Lusa o presidente do Instituto.
Vicente Batalha adiantou que "A Casa da Lenha", o espectáculo baseado na obra de António Torrado e encenado por João Mota, sobre a vida de Fernando Lopes Graça, foi escolhido como "Melhor Espectáculo do Ano".
Com o programa da Gala ainda a ser "fechado", mas já com a garantia de que terá teatro, bailado, canto e música, o Instituto Bernardo Santareno (IBS) vai também entregar nesse dia os prémios "Revelação", que não quis ainda divulgar porque falta contactar uma das premiadas,  "Interpretação" e "Categoria Especial".
Este último prémo irá distinguir postumamente a actriz escalabitana Alda Rodrigues, que se estreou na representação da peça "Promessa", de Bernardo Santareno, e a organização do Festival Internacional de Teatro para a Infância e a Juventude (FITIJ), que se realiza bienalmente em Santarém, "pela sua qualidade e abertura ao Mundo".
A "Grande Gala Santareno" constitui o ponto alto do programa "Novembro, Mês de Santareno", que se inicia hoje com a exposição "Bernardo Santareno, pseudónimo de António Martinho do Rosário, Vida e Obra", e prossegue na próxima semana com a exposição "Santarém, Capital do Teatro" e um ciclo de conferências dedicado ao escritor.
Aproveitando o facto de passar meio século da estreia de "A Promessa", ocorrida a 23 de Novembro de 1957 com encenação de António Pedro e representação do Teatro Experimental do Porto, o IBS e a Câmara de Santarém lançam, dia 14, uma edição comemorativa, numa sessão que vai contar com a presença de actores do TEP, sob a direcção de Norberto Barroca.
Vicente Batalha disse à Lusa que o IBS nasceu de uma proposta do presidente da câmara municipal de Santarém, Francisco Moita Flores, no sentido da divulgação da obra de Bernardo Santareno, "injustamente esquecida".
A I Grande Gala Santareno realizou-se em 2006, acreditando o presidente do IBS que o programa deste ano "é mais consistente" e irá ganhar outra projecção quando o Instituto, que criou já uma "teia de relações", passar a dispor de uma sede, provavelmente a partir do início de 2008.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.