Portugal deixa escapar vitória e Espanha vence nas grandes penalidades

Portugal deixa escapar vitória e Espanha vence nas grandes penalidades

 

Lusa/AO   Outras modalidades   23 de Nov de 2007, 20:29

Portugal foi hoje afastado da final do Campeonato da Europa de futsal ao perder com a Espanha na marcação das grandes penalidades (4-3), após 2-2, em jogo que decorreu em Gondomar
Portugal deixou hoje escapar a presença na final do Campeonato da Europa de futsal, ao não conseguir segurar uma vantagem de 2-0 frente à Espanha, campeã europeia e Mundial, em Gondomar.
A selecção lusa entrou nos derradeiros minutos do jogo a gerir a vantagem de 2-0, com golos de Gonçalo Alves (1-0), aos 31 minutos, e Ricardinho (2-0), aos 35, mas sucumbiu à maior experiência dos espanhóis.
A jogar com Kike a guarda-redes avançado, e a pressionar os portugueses, a Espanha anulou a vantagem com golos de Daniel (1-2), aos 36 minutos, e Andreu (2-2), aos 38, num verdadeiro balde de água fria para o público que lotou o pavilhão.
Na lotaria das grandes penalidades, o azar bateu à porta dos portugueses que não conseguiram marcar por Joel e Leitão, contra uma série imaculada da Espanha, que não falhou nenhum dos remates até aos 4-3.
A selecção portuguesa entrou a pressionar a campeã europeia e mundial Espanha e Arnaldo Pereira, com três remates nos três primeiros minutos, colocou à prova os reflexos do guarda-redes Luis Tarodo.
A acusar algum nervosismo no início do encontro, Portugal concedeu algumas facilidades na sua zona defensiva que, contudo, não foram aproveitadas pelos espanhóis, apostados em atacar apenas pela certa.
Ricardinho, que depois de ter estado em dúvida surgiu a titular na equipa lusa, rematou de longe, aos 7 minutos, e na resposta Ibanez, aos 8, fez a bola passar rente a poste da baliza defendida por Benedito.
O encontro conheceu um período de futebol rápido e aberto e com sucessivos remates de parte a parte, por Arnaldo Pereira e Borja Blanco, aos 11 minutos, Gonçalo Alves, aos 13, Marcelo Soares e Zé Maria, aos 14.
A oportunidade de golo mais flagrante ao longo da primeira parte pertenceu a Portugal, aos 15 minutos, mas o remate de Joel, após se virar e tirar um adversário da jogada, embateu na trave da baliza de Espanha.
O último minuto da primeira parte conheceu momentos acalorados, dentro e fora das quatro linhas, e com mais uma dupla situação de perigo criada por Portugal, por Andrade, num remate ao lado, e Marcelinho, que não conseguiu a finta para se isolar.
A segunda parte surgiu com mais uma oportunidade desperdiçada pela selecção portuguesa, com Andrade a surgir isolado de costa para a baliza de Tarodo e a não conseguir ganhar posição para desferir o remate.
O golo de Gonçalo Abreu (1-0), aos 31 minutos, que fez a bola picar por cima do guarda-redes Tarodo, levou ao rubro o pavilhão, que quase "vinha abaixo" com o golo de bicicleta de Ricardinho (2-0), aos 35. 
O cenário da presença na final começou a pairar na selecção portuguesa, que, no entanto, não teve o engenho necessário para segurar a vantagem, que perdeu em dois minutos com golos de Daniel (1-2) e Andreu (2-2), aos 36 e 38 minutos, respectivamente.
Na marcação das grandes penalidades para definir o finalista, o azar bateu à porta de Joel e Leitão, que falharam cada um os respectivos remates, enquanto a Espanha realizou uma série imaculada de quatro pontapés vitoriosos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.