Energia

PCP contesta subida da electricidade proposta pela ERSE


 

Lusa / AO online   Economia   16 de Out de 2009, 11:45

O PCP considerou “absolutamente inaceitável” a proposta da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) de aumentar os preços da electricidade em 2,9 por cento no próximo ano, defendendo antes o congelamento das tarifas em 2010.
A subida do custo da electricidade proposta quinta-feira pela ERSE representa, segundo esta entidade, um incremento de “pouco mais de um euro” nos orçamentos mensais familiares, com base numa factura média de 39 euros/mês, mas o PCP acredita que os encargos serão “bem superiores para outras famílias e sobretudo para as empresas”.

Em declarações à Lusa, José Lourenço, membro da Comissão dos Assuntos Económicos do PCP, disse ser inaceitável este aumento agora proposto, sublinhando que em 2009 o preço da electricidade subiu 4,9 por cento, num ano de “inflação zero ou mesmo ligeiramente negativa”, razão por que, considerou, a EDP apresentou 540 milhões de euros de lucros no primeiro semestre.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.