Açoriano Oriental
Nuno Barata integra lista de Rui Rocha à liderança nacional da IL

O coordenador e deputado regional da Iniciativa Liberal dos Açores, Nuno Barata, integra a lista de Rui Rocha, candidato à liderança nacional da Iniciativa Liberal.


Nuno Barata integra lista de Rui Rocha à liderança nacional da IL

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

As eleições para os órgãos nacionais da IL decorrem nos dias 21 e 22 de janeiro, no Centro de Congressos de Lisboa, em Alcântara, sendo a candidatura de Rui Rocha a única lista que apresenta candidatos a todos os órgãos nacionais, contando com membros dos Açores nas listas aos diferentes órgãos partidários, indica comunicado de imprensa.

Assumindo a intenção de eleger “dois deputados regionais, constituindo o primeiro grupo parlamentar liberal da Região”, nas eleições regionais previstas para 2024, Rui Rocha frisa, citado no comunicado, que “a própria constituição da Comissão Executiva que apresento traduz o foco nesse desafio, uma vez que na minha dependência direta serão criados os pelouros de política regional com o propósito de darmos prioridade ao desenvolvimento dos programas e das estratégias para essas eleições”.

A moção de estratégia global “Liberalismo para Todos” dedica várias páginas aos Açores, elogiando o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por Nuno Barata na Região.

O candidato Rui Rocha sublinha que Nuno Barata “conseguiu, sozinho, modular o exercício do poder executivo, obrigando à inclusão de propostas liberais e traçando claras linhas vermelhas com os extremismos e populismos de todas as cores”.

Considerando que “é importante que a Iniciativa Liberal cresça nos Açores para ser determinante na mudança necessária, para disciplinar o PSD/Açores e tornar incontornável uma liberalização da Região”, a moção de estratégia global com que Rui Rocha se apresenta às eleições internas do partido é também clara: “A IL deverá concorrer com listas próprias às eleições regionais dos Açores, mesmo em cenário de elevada polarização”.

Rui Rocha assume que, “em articulação com o Grupo Parlamentar nacional, iremos angariar apoio político a partir do continente, para a promoção de causas açorianas na Assembleia da República”, sendo que, “após as eleições de 2024, a IL deve manter o caminho traçado até aqui”, isto é, deve “viabilizar um governo não socialista, caso uma série de reformas e medidas liberais sejam implementadas, mantendo a autonomia de fazer uma oposição construtiva ao executivo”.

Para o candidato Rui Rocha, a Autonomia política e administrativa dos Açores e da Madeira é, “desde a sua origem, um projeto inacabado e eternamente adiado. É importante criar os mecanismos para que a Autonomia deixe de ser apenas um nome, passando a ser a forma como se governam os arquipélagos. É preciso promover a revisão dos Estatutos da Autonomia das Regiões, revendo a Lei das Finanças Regionais, de modo a alcançar um modelo mais justo e transparente, que garanta uma distribuição equitativa de recursos com base nas reais necessidades dos açorianos e dos madeirenses”.

No âmbito da proposta de revisão dos Estatutos da IL, o Rui Rocha compromete-se a “propor ao Conselho Nacional a abertura de um processo de revisão estatutária que permita resolver o problema de representação que a Iniciativa Liberal tem nas Regiões Autónomas e criar uma estrutura representativa que possa interagir com os governos regionais”.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados