Exames / 9º Ano

Notas melhoram mas maioria das escolas tem negativa


 

Lusa/Ao online   Nacional   16 de Fev de 2019, 10:50

 As notas nos exames nacionais do 9.º ano melhoraram em 2018 e as escolas públicas subiram na lista das melhores classificadas, surgindo a primeira em 20.º lugar, mas a maioria dos estabelecimentos continua a ter média negativa.

A média das notas nos exames de Português e de Matemática melhorou ligeiramente no ano passado, passando de negativa para positiva: em 2017, a média dos dois exames foi de 2,61 (numa escala de zero a cinco) e, em 2018, foi de três valores, segundo uma análise feita pela Agência Lusa aos dados disponibilizados pelo Ministério da Educação.

Esta melhoria deveu-se ao desempenho dos alunos na prova de Português, cuja média subiu de 3,04 valores para 3,39, já que a Matemática as notas baixaram ligeiramente (a média desceu de 2,87 para 2,61).

No entanto, mais de metade das escolas ainda teve média negativa nos exames nacionais, segundo uma avaliação às notas das quase 190 mil provas realizadas no ano passado pelos alunos do 9.º ano.

Num universo de 1.256 escolas, 714 estabelecimentos de ensino (56%) ficaram abaixo dos três valores e 542 escolas (43%) obtiveram média positiva.

Comparando com o ano anterior, aumentaram as escolas com média positiva, passando de 40% para 43% do universo de estabelecimentos de ensino.

Os colégios voltam a aparecer no topo da lista com melhores resultados, com a primeira pública a surgir em 20.º lugar: a Escola Básica dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos com Pré-Escolar do Porto da Cruz, na Madeira.

Com melhor resultado surge o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, onde a média dos 290 exames foi de 4,52 valores, seguindo-se a Academia de Música de Santa Cecília, em Lisboa, e o Colégio EFANOR, no Porto.

Dois colégios do distrito de Braga ocupam o 4.º e 5.º lugares: D. Diogo de Sousa e Nossa Senhora da Conceição.

A primeira escola pública surge em 20.º, o que representa uma subida de dez lugares em relação ao ano passado, quando a primeira pública - a Escola Secundária Infanta D. Maria, em Coimbra - surgiu em 31.º lugar.

No passado ano letivo, a pública mais bem classificada situou-se na Madeira: a Escola Básica dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos com Pré-Escolar do Porto da Cruz.

Neste estabelecimento, os alunos tiveram melhores prestações nas provas nacionais (média de 4,08 valores) do que na nota atribuída pelos professores pelo trabalho realizado em sala de aula ao longo do ano (média de 3,39 valores).

São raras as escolas em que isto acontece, já que normalmente os alunos têm notas mais baixas nos exames do que a atribuída pelos seus professores pelo desempenho ao longo do ano letivo (nota interna).

No universo das 1.256 escolas, em mais de mil (1.037) a maioria das notas internas foi positiva e em apenas 219 a média foi negativa.

Já nos exames nacionais, apenas 542 estabelecimentos de ensino conseguiram uma média positiva, com destaque para os colégios.

Apesar de as escolas públicas terem melhorado em relação ao ano passado, apenas 36% tiveram média positiva nos exames (372 estabelecimentos em 1.036), uma realidade oposta à das escolas privadas: 77% dos colégios obtiveram média positiva (170 em 220).




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.