Meteorologia

Meteorologistas defendem uniformização de linguagem


 

Lusa/AO online   Regional   11 de Set de 2008, 18:50

As organizações ibéricas de meteorologia defenderam, nos Açores, a uniformização da linguagem e critérios nesta área como forma de agilizar respostas em situações de emergência e garantir a mesma fiabilidade informativa nos dois países.
"Entre Portugal e Espanha criámos um bloco ibérico ao nível da meteorologia. Há efectivamente um intercâmbio de dados, colaboração ao nível das situações de risco e política de investigação/desenvolvimento", afirmou o presidente do Instituto de Meteorologia de Portugal, Adérito Serrão.

    Os responsáveis pelos organismos de meteorologia de Portugal e Espanha estão reunidos até sexta-feira pela primeira vez na ilha de São Miguel, Açores, na reunião anual de coordenação das actividades de cooperação entre as duas instituições.

    Para Adérito Serrão, na prática esta uniformização vai beneficiar os cidadãos de ambos os países e a própria actividade económica, destacando que já existe troca de informação ao nível dos avisos meteorológicos de mau tempo entre Portugal e Espanha.

    "O acompanhamento meteorológico e envio dos avisos de mau tempo já se faz nos dois sentidos", assegurou Adérito Serrão, acrescentando que está em curso um trabalho de aperfeiçoamento e harmonização do índice e fórmula de calcular o risco de incêndio.

    Adérito Serrão anunciou, ainda, que está em curso dos dois lados da fronteira a recolha de dados meteorológicos destinados à publicação de um atlas ibérico, que fará a caracterização de climatologia dos dois países num documento único.

    O director-geral da Agência Estatal de Meteorologia de Espanha, Francisco Cadarso, comprometeu-se a desenvolver um trabalho conjunto intenso para ter o atlas ibérico pronto o mais rápido possível, por ser um "instrumento de enorme utilidade nos dois lados da fronteira".

    "Além das questões climáticas, o atlas terá de apresentar aspectos ligados à temperatura e precipitação", afirmou Francisco Cadarso, acrescentando que ambos os países têm trabalho para uniformizar metedologias em áreas como a previsão, por exemplo.

    Em Espanha o serviço de meteorologia está a cargo de uma agência estatal, em processo de implementação, enquanto em Portugal este serviço é desenvolvido por uma instituto público, mas ambos têm autonomia financeira e de gestão administrativa.

    A reunião de coordenação das actividades entre as duas instituições no próximo ano ficou agendada para Setembro e irá decorrer em Barcelona.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.