Política

Guilherme Silva diz que ausência de deputados nas votações é "inaceitável"


 

Lusa/AO online   Nacional   8 de Dez de 2008, 13:36

O antigo líder parlamentar do PSD Guilherme Silva considerou hoje “inaceitável” que os deputados faltem às votações por motivos “menos justificáveis, como lazer ou outros” e sugeriu que estes peçam a sua substituição.
Guilherme Silva falava hoje durante uma entrevista ao Rádio Clube Português, a propósito da ausência, sexta-feira - véspera de fim-de-semana prolongado - de 30 deputados sociais-democratas numa votação.
Os 30 deputados estiveram ausentes durante a votação dos projectos de resolução da oposição pela suspensão do processo de avaliação dos professores.
Na altura, e questionado à saída do plenário se a ausência de três dezenas de deputados do PSD na votação não terá sido decisiva para o 'chumbo' dos diplomas, o actual líder parlamentar dos sociais democratas, Paulo Rangel, considerou que a falta dos parlamentares sociais-democratas "não teve relevância para a votação".
Hoje, Guilherme Silva revelou-se indignado com as faltas dos deputados, adiantando que não há nada que “justifique a irresponsabilidade de uma ausência e de uma ausência num momento relevante”.
“Se houve alguém que quis ir mais cedo para um fim de semana prolongado e irresponsavelmente se ausentou, isso é condenável e absolutamente inaceitável”, disse.
Aos microfones do Rádio Clube Português, Guilherme Silva aconselhou: “Quem está desmotivado e não se sente capaz de exercer o mandato com o grau de responsabilidade à altura do estatuto deste cargo, simplesmente pede a substituição”.
“As regras são assim: Até podem renunciar ao mandato. Não podem é tentar conciliar soluções pessoais, menos justificáveis, de lazer ou outras, com a irresponsabilidade de faltar a uma votação”, disse, concluindo que “isso é que não é aceitável”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.