Ajuda externa

Governo reforça protecção aos depositantes até final de Novembro


 

Lusa/AO online   Economia   13 de Set de 2011, 14:59

O Governo vai alterar a lei para reforçar a protecção aos clientes com depósitos bancários até final de Novembro, mudando, para isso, o Fundo de Garantia Depósitos e o Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo.
Este objectivo consta da primeira actualização ao Memorando de Entendimento com a ‘troika’ (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) que serviu de base ao programa de apoio económico e financeiro a Portugal.

Segundo o texto, até final de Novembro têm de ficar concluídas alterações à legislação sobre o Fundo de Garantia de Depósitos (FGD) e o Fundo de Garantia por Instituições do Crédito Agrícola Mútuo (FGCAM) e será reforçada a protecção aos depositantes, assim como o financiamento a instituições de crédito em dificuldades.

De acordo com o documento, as funções do FGD e do FGCAM “serão reavaliados para reforçar a protecção aos aforradores”.

O texto diz ainda que estes fundos vão manter a capacidade para contribuir para o financiamento de instituições de crédito em dificuldades, mas deverão desaparecer as suas funções de capitalização dos bancos.

“A assistência financeira deverá ser limitada ao montante dos depósitos garantidos que teriam de ser pagos em caso de liquidação. Isto deve ser permitido apenas se não comprometer a capacidade de [os fundos] desempenharem a sua função principal”, acrescenta.

Estas alterações estão a ser articuladas com a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.