Crise financeira

Euribor em alta apesar do corte das taxas de juro

Euribor em alta apesar do corte das taxas de juro

 

Lusa/AOonline   Economia   9 de Out de 2008, 10:51

O custo de pedir emprestado em euros manteve-se esta quinta-feira ao mais alto nível apesar dos cortes nas taxas de juros anunciados quarta-feira pelos maiores bancos centrais, entre os quais o BCE.
A taxa Euribor a três meses ficou inalterada nos 5,393 por cento, de acordo com o fixing diário da Federação Europeia dos Bancos, divulgado às 10:10 (hora de Lisboa), enquanto as Euribor a 6 e 12 meses, indexantes do crédito à habitação, subiam.

    A Euribor a 6 meses fixou-se em 5,448 por cento, contra 5,438 na véspera, antes do anúncio conjunto pela Reserva Federal americana, o BCE, os bancos centrais do Reino Unido, do Canadá, da Suíça, da Suécia.

    A Euribor a 12 meses subiu para 5,512 por cento contra 5,486. Só a Euribor a um mês recuou, fixando-se em 5,126 por cento contra 5,197 na véspera.

    As taxas euribor são fixadas pela média das operações que um conjunto de bancos está disposto a fazer.

    Com o aprofundamento da crise financeira, os bancos deixaram de emprestar-se dinheiro mutuamente, "secando" o mercado monetário, e levando a um encarecimento dos custos do crédito.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.